BOOKS || Destruidor de Mundos (Victoria Aveyard)

Autor: Victoria Aveyard
Tradutor: Guilherme Miranda & Lígia Azevedo
Editora: Seguinte
Série: Sim, livro 1 (série Destruidor de Mundos)
Temas: Aventura, Fantasia, Jovem-Adulto, Jornada
Ano após ano, Corayne assiste sua mãe, uma célebre pirata, partir para o alto-mar e desbravar todos os reinos de Todala, sem jamais poder acompanhá-la. Quando um misterioso imortal e uma assassina de aluguel aparecem dizendo que ela é a última descendente viva de uma poderosa linhagem ― e a única pessoa capaz de salvar o mundo de um perigo iminente ―, ela aproveita a chance para ir em busca de sua própria aventura.
O problema é que o perigo é muito maior do que ela imaginava: um homem sedento por poder, determinado a reabrir os portais que, no passado, levavam para outros mundos, povoados por criaturas sinistras. Com a ajuda de um grupo de bandidos e maltrapilhos, Corayne terá de provar que o heroísmo pode surgir até nos lugares mais inesperados.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<

"Ainda existiam ecos, em lugares lembrados ou esquecidos, em pessoas tocadas pela magia, criaturas descendentes de outras esferas.”

RESENHA<<<

Gostei bastante de “Rainha Vermelha”, apesar de alguns momentos meia boca, de maneira geral, a série foi positiva para mim, sendo assim, quando vi o novo lançamento da autora, já queria dar uma chance e torcendo para ter bons momentos como aconteceu na outra série.

Vi a escrita da autora evoluir, personagens mais maduros, histórias e detalhes mais bem contados, mas sempre deixando aquela pontinha, seja para mais à frente da trama ou para o próximo livro (sim, será uma série...).

Teve algumas coisas clichês, mas o que me encantou foram os diversos personagens narrando, e olha, que aqui a gente tem é personagem... seja do time dos mocinhos ou dos ‘vilões’, tem gente para dar e vender. Por isso, não rola de ler ‘en passant’ ou não dando as devidas atenções.

Confesso que o início é meio lento, afinal ela está criando e explicando como aquele mundo funciona – o quem é quem, as histórias e lendas, as brigas e o que temos agora, bem como os deuses e os mundos (esferas), sendo assim, a história de fato só começa a engrenar lá pelos 30% do livro, mas a ideia é boa.

Gostei do que foi apresentado, teve uns momentos que tinha descrições em excesso ou umas situações caricatas? Sim, mas nada que me fizesse pegar rancinho ou abandonar a série. Quero a continuação e torço para outros personagens ganhem mais destaques/aprofundamento da sua situação.

Share:

0 comentários