BOOKS || A Metade Perdida (Brit Bennett)

Tradutor: Thaís Britto
Editora: Intrínseca
Série: Não
Temas: Romance, Comportamento
As irmãs Vignes são gêmeas idênticas. Quando, aos 16 anos, resolvem fugir de casa, elas não fazem ideia de como isso vai alterar suas trajetórias. Mais de uma década depois, uma delas volta para a cidade natal — uma comunidade negra no sul dos Estados Unidos obcecada por novas gerações de pele cada vez mais clara —, e o choque não poderia ser maior. Porque ela não apenas chega sem a irmã, mas com uma criança. Uma criança de pele muito escura.
Para as gêmeas, a separação não significou apenas o rompimento de um laço sanguíneo. Elas se encontram em pontos muito distantes em uma sociedade racista: enquanto uma se casa com um homem negro e é obrigada a retornar ao lugar de onde escapou tantos anos antes, a outra é vista como branca, e o marido branco não faz ideia de seu passado. Ainda que separadas por milhares de quilômetros — e incontáveis mentiras —, o destino das duas permanece interligado. E o que acontecerá quando os caminhos de suas filhas acabarem se cruzando também?
Ao reunir diversos núcleos e gerações de uma mesma família, do extremo sul dos Estados Unidos à Califórnia, entre os anos 1950 e 1990, Brit Bennett constrói uma história emocionante, que também analisa de forma brilhante conceitos como passabilidade e colorismo. A metade perdida trata de questões raciais, explora a influência duradoura do passado em nossas vidas — seu poder de moldar decisões, desejos e expectativas — e apresenta as razões pelas quais algumas pessoas se sentem compelidas a se afastar de suas origens.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<

"Na manhã em que uma das gêmeas desaparecidas retornou a Mallard, Lou Le Bom foi correndo até a lanchonete para contar a novidade e, até hoje, anos depois, todo mundo se lembrado choque ao vê-lo chegar escancarando as ´portas de vidro, suado, a respiração ofegante, a gola da camisa suja pelo esforço físico.”

RESENHA<<<

Uma história verdadeiramente intrínseca que nos leva a diversas reflexões. Como por exemplo quem somos, e como nos tornamos quem somos?

Nessa história temos a história de duas irmãs gêmeas, que vivem em uma comodidade de pessoas com interesse em branquear cada vez mais as gerações futuras. É isso mesmo que vivesse leram! Não sendo considerados brancos pelos ditos brancos e não querendo ser tratados como negros. 

Eis que em dado momento as irmãs resolvem meter o pé do local, ir embora fugidas; após muitos traumas e situações inimagináveis e é aí que as coisas começam a ter reviravoltas e reflexões casa mais vez mais importantes.

Uma história como a muito eu não lia, que nos faz refletir e pensar muito em determinadas coisas, inclusive, algo de suma importância para mim, que é aceitar ser quem não somos, para agradar ou se encaixar. Não sei vocês, mas já passei por algo assim e através de uma psicóloga que pude compreender que eu não tinha que me encaixar no mundo das pessoas ao meu redor. E isso é algo que nem sempre está claro para nós, principalmente quando se trata de um ente querido ao qual temos um vínculo forte. Saber dizer não, saber recuar, saber aceitar que a pessoa pode te excluir se você não agradar mais, são coisas que para muitos tanto faz, mas para outros, como eu, foi um processo!

Esse livro traz à tona tantos assuntos necessários que é até difícil falar sobre casa um deles sem dar spoiler! Temos racismo, feminismo, se se negar a própria identidade e outros. 

Um livro para ser lido, relido e refletido! 

Quem olha capa, não vê conteúdo!

Que livro! 

Share:

0 comentários