BOOKS || Stars Above & Rei de Elfhame (Holly Black & Marissa Meyer)

Autor: Holly Black & Marissa Meyer
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Glaera Record & Rocco
Série: Sim, livro 0,5 (série Povo do Ar & Crônicas Lunares)
Temas: Aventura, Fantasia, Jovem-Adulto, Contos
Além do “felizes para sempre”.
O universo das Crônicas Lunares esconde histórias e segredos que são incríveis, viciantes e românticos. Como Cinder chegou pela primeira vez a Nova Pequim? Como o soldado Lobo se transformou de um jovem rapaz para um assassino? Quando Winter e o guarda Jacin se deram conta de seus destinos?
Com nove histórias, cinco delas nunca publicadas antes, Stars Above: Contos das Crônicas Lunares é um livro essencial para os fãs das Crônicas Lunares.
O encantamento continua…
A guardiã – Como a princesa Selene foi parar na Terra e aos cuidados de Michelle Benoit.
Falhas – Cinder chega à sua nova casa e encontra sua nova família. Aqui, ela descobre suas habilidades como mecânica e faz uma amiga muito importante.
O exército da rainha – O exército da rainha Levana está sendo formado e conta com um soldado em particular que está disposto a fazer tudo para não se tornar o monstro que querem que ele seja.
Guia de Carswell para ser uma pessoa de sorte – O jovem Carswell Thorne tem grandes planos, que envolvem uma nave Rampion e uma viagem só de ida para Los Angeles.
Depois que o sol passar – A pequena Cress, de apenas oito anos, acaba sendo jogada em um satélite, completamente sozinha e tendo que espionar a Terra para Luna.
A princesa e o guarda – Winter e seu amigo de infância Jacin começam um jogo onde uma princesa precisa ser salva.
A pequena androide – Um conto inspirado em “A pequena sereia” que se passa no universo de Crônicas Lunares.
O mecânico – O primeiro encontro de Kai e Cinder, pelo ponto de vista do futuro imperador.
Algo velho, algo novo – Nesse epílogo de Winter, todos os seus amigos se reúnem para fazer o casamento do século acontecer.

Retorne, em Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias, ao cativante e irresistível universo de Elfhame. Era uma vez, em uma terra mágica e distante, um garoto com uma língua perversa. Antes de se tornar um príncipe cruel ou um rei perverso, Cardan era uma criança fada conhecida por ter um coração de pedra.
Em Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias, a autora best-seller 1 do New York Times Holly Black revela um olhar mais profundo sobre a vida do enigmático Grande Rei de Elfhame. No Reino das Fadas, um príncipe jovem, perigosamente bonito e, acima de tudo, cruel conhece Jude, uma humana criada em Elfhame. Uma trilogia inteira é dedicada a contar a história de sua perspectiva, mas, agora, Cardan está no centro das atenções. Esta história inclui maravilhosos e precisos detalhes da vida do Grande Rei antes dos acontecimentos de O príncipe cruel, uma aventura que ultrapassa as fronteiras de A rainha do nada e, ainda, momentos fundamentais vistos anteriormente pela perspectiva de Jude, narrados na íntegra pelo ponto de vista de Cardan.
Este novo livro é um retorno ao universo dos romances épicos, acelerados, perigosos e carregados de drama que conquistaram leitores por todo o mundo. Com cada história acompanhada de deslumbrantes e coloridas ilustrações, Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias se torna um indispensável item de colecionador a ser apreciado por públicos de todas as idades.

RESENHA<<<

Livros que são os ‘meios’ – 0,5 ou 2,5 dentro de uma série sempre me parece aquela pegadinha. Uma maneira de agradar aos fãs por ter mais história/assunto dentro de um universo que já conhecemos, mas ao mesmo tempo me pergunto se não é algo empurrado pela editora. Tipo, ‘olha, a série X fez sucesso, vamos convencer o autor a escrever um pouco mais...’.
O problema? É quando o autor só fica nesse mundo e acaba não evoluindo...
Saga POVO DO AR
Saga CRÔNICAS LUNARES

Na resenha de hoje, os ‘meios’ que li tem a ver com séries já resenhadas no blog e gostei bastante. Fiquei saudosista e interessada em mergulhar mais uma vez naquele universo e ao mesmo tempo, porém sei que as autoras em questão já escreveram outras coisas. Se tudo foi bom, aí são outros 500.

Começo por “Star Above” de Crônicas Lunares, as histórias relatam momentos diversos da saga – passado, presente – futuro e inclusive, dá destaque à personagens que não tiveram tanta atenção durante a narrativa. São nove contos dentro do universo, para mim as mais legais foram ‘A Guardiã’, ‘Falhas’, ‘Depois que o sol passar’ e ‘Algo velho, algo novo’. Não que os outros contos não tenham sido legais, mas me identifiquei mais com esses, responderam com informações que não estavam claras durante a saga.

Depois temos ‘Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias’, seguindo a mesma ideia do livro acima, aqui temos contos e histórias contando um pouco do encontro de Cardan e Jude, as coisas que aconteceram depois dos eventos finais e um pouco de como Cardan foi criado na corte das fadas e uma troca de visão – coisas que nos livros foram narradas pela Jude e aqui a gente vai ter o momento narrado pelo Cardan.

Como complemento das séries, são maravilhosos, traz mais informações e aquele quentinho no coração. Não recomendo para quem achou as séries medianas. Porém a pergunta que sempre me faço é: são histórias em excesso que foram tiradas no decorrer da escritura dos livros e é um ‘brinde’ para os leitores? Ou é uma maneira a mais da editora ganhar dinheiro com nós leitores aproveitando a hype?

Share:

0 comentários