BOOKS || O Mapa de Sal & Estrelas (Zeyn Joukhadar)

Autor: Zeyn Joukhadar
Editora: TAG
Série: Não
Temas: Romance, Guerra, Jornada,
Tradutor: Carol Chiovatto

 

Em meio a protestos, conflitos e bombardeios causados pela Guerra Civil na Síria de 2011, a jovem Nour é forçada a deixar o país em busca de segurança. Quase um século no passado, Rawiya, aprendiz de cartografia, traça a mesma rota numa saga épica em terras desconhecidas. As duas jornadas de amadurecimento se intercalam, ao passo que as protagonistas, embora separadas por séculos de história, representam a realidade de tantos refugiados do Oriente Médio e norte da África.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<

"A ilha de Manhattan tem buracos, e é lá que Baba dorme.”

RESENHA<<<

E quando você precisa desistir da sua antiga vida para conseguir uma nova? Como fazer? No que se agarrar? Quais são os pensamentos de uma pessoa que sente não pertencer a nenhum lugar? Em “O Mapa de Sal & Estrelas”, vamos acompanhar as aventuras de duas jovens – Rawiya e Nur.  Rawiya é uma menina que se esconde nas roupas de menino para conhecer o mundo e seguir seu sonho, ser cartógrafa. Já Z vê seu mundo desmoronar após a morte do pai e quando se muda, tem um segundo baque, após sua cidade ser atacada, ele segue o caminho insano para reencontrar sua família e segurança.

Olha, se você for corajoso para se aventurar através das páginas deste livro, prepare os lencinhos. Muitas passagens são de cortar o coração e chorar, principalmente quando a gente reflete nas mazelas do mundo e de algumas pessoas desafortunadas.

A história de Rawiya tem uma pegada mais leve, alegre, ao estilo das Mil e Uma Noites, onde vamos viajando de camelo e em caravana pelas belezas e terras intocadas, sem esquecer dos saques e perigos daqueles tempos. A gente fica sempre na expectativa de Rawiya se descoberta e o que vai acontecer quando isso acontecer. É a parte leve dessa aventura...

Anos depois, Nur fará o mesmo caminho. Sendo Rawiya sua personagem favorita, já que ela faz parte de uma história que se falecido pai sempre contava, ela se agarra nela para conseguir superar os obstáculos (que serão muitos ao longo do percurso).

Nur não pertence a nenhum lugar, nascida nos Estados Unidos de uma família árabe, após a morte do pai, a família volta para Síria. Ela é a única que fala um árabe rudimentar (ou infantil) e para eles é americana demais (nos EUA era árabe demais para ser americana). Porém, quando sua cidade é atacada por uma bomba e ela e sua família precisam seguir adianta para conseguir asilo e voltar aos Estados Unidos, Nur vai entender que a família sempre a protegeu para ela não ver o lado ‘feio’ da vida, mas quando a gente só pode ir para frente, fica impossível ser protegida todo o momento da jornada.

É um livro forte, com cenas duras nas partes referentes à Nur, mas o autor mostra a realidade dos refugiados e quem pede asilo. O que a gente faz quando a guerra invade nosso país? E quando você não tem um país para chamar de país? Mostrando que as vezes os seres humanos são ruins e mesquinhos, mas também podem ser amorosos e benevolentes, em seu caminho Nur vai encontrar de tudo e sua heroína vai guiá-la em cada etapa da jornada.

Apesar de ser uma boa história, teve momentos que a leitura não fluiu tão bem como deveria, ou teve uma repetição de situações e tragédias, não que a vida seja um mar de rosas, mas teve momentos que não fui conectada e falo isso nas duas partes, tanto a verdadeira quanto a fantasia. O desenvolvimento de alguns personagens ficou a desejar ou simplesmente a gente acaba não simpatizando com eles.

Como disse, a parte da aventura fica por conta de Rawiya, as partes de Nur e sua família serão sempre um soco no estomago, reviravoltas (algumas positivas e outras nem tanto), mas a narrativa anda. Não é daqueles livros de ler tudo numa pegada só, diria que é bom ler apenas algumas páginas por dia para ‘não pesar na alma’, mas vale dar uma chance.

O caminho percorrido pelas duas protagonistas – Síria >> Jordânia/Egito >> Líbia >> Argélia/Marrocos >> Ceuta.

Share:

0 comentários