SERIES || Lupin

Para saber mais:
Baseada nos romances policiais de Maurice Leblanc, Lupin acompanha Assane Diop (Omar Sy), um homem que, 25 anos atrás, viu sua vida virar de cabeça para baixo com a morte de seu pai, então acusado injustamente de um crime. Agora, ele está em busca de vingança e, para isso, se inspira em Arsène Lupin, o famoso "ladrão de casaca" da literatura francesa. Conhecido como "Robin Hood da Belle Époque", Lupin se tornou um gênio do crime na Paris do início do século 20 - e Diop vai seguir seus passos nos dias de hoje.

Personagens Principais:
Omar Sy >>> Assane Diop
Ludivine Sagnier >>> Claire
Etan Simon >>> Raoul
Clotilde Hesme >>> Juliette Pellegrini
Antoine Gouy >>> Benjamin Ferel

Trailler da Série:



                                                                                          RESENHA<<<
Trazendo uma pequena review sobre a primeira parte da série LUPIN (no momento só saíram 5 episódios). Série essa que se baseia na série de livros “ARSENE LUPIN”, uma espécie de ‘rival’ do Sherlock Holmes, porém o mesmo além de tudo ele é considerado o ‘cavalheiro ladrão’, ou seja, ele é um especialista em disfarces. Criado por Maurice Leblanc e tendo sua primeira aparição em 1905 na revista ‘Je suis tout’ com a história ‘L’Arrestation d’Arsène Lupin’. Com essa base, a nova série da Netflix – LUPIN, mostra o personagem que usa as histórias de Lupin como base para seu grande plano.

Ou seja, a série não é baseada com o intuito de recriar a série de livros, mas os livros estão presentes em praticamente todos os episódios da série. Com isso em mente, podemos dizer também que dá para perfeitamente entender a série sem ler o livro, porém a única coisa que a gente pode ficar em dúvida é essa relação dos crimes com o que está acontecendo, já que a gente não conhece como são os métodos dele.

Nessa nova versão, Omar Sy – ASSANE DIOP, nosso protagonista no primeiro episódio vai fazer um roubo de um espetacular um colar no museu do Louvre e através desse roubo/colar a série conta quem é Assane, seu passado e ‘como’ ele usa o papel de Lupin (as ideias e mudanças) para sua vida.

Eu gostei muito da série, os cenários, a própria história e claro, a gente quer ver as reviravoltas, como ele consegue entrar/sair do Louvre, prisão e outras situações. Confesso que praticamente devorei os 5 episódios praticamente de uma vez só. E sim, fiquei com bastante raiva que no meio da temporada a dona Netflix me deixa no ar e a gente fica se perguntando quando os próximos 5 epis chegam (de acordo com suposições entre abril e julho).

Tiveram alguns pontos que achei que foram muito vacilos e dentro do que nos foi apresentado, diria que foi bem bobo e de iniciante. Sem entrar muito em detalhes e o que mais foi meio sem noção: a cena da fita de vídeo e todo o rolê ligado – a notícia e reviravolta, a jornalista e a situação em si. Achei que para um ladrão do nível dele, da jornalista vivida e de como vivemos nos dias de hoje foi um ato de iniciante. E essa situação foi uma comida de bola muito grande.

E talvez o que mais importante é o que a série tenta levantar: na questão de observar as pessoas, a relação de poder e a sensação de inviabilidade de algumas camadas da sociedade (existem vários estudos falando sobre isso) e nessa questão da inviabilidade, Diop acaba construindo e nos comentando como ele monta seus planos. Essa percepção e como isso é mostrado na série conversa muito com os dias de hoje e acredito que vale dar uma chance para série.

Share:

1 comentários

  1. Oi, Andy.
    Eu vi os 5 episódios de uma vez porque adorei!
    Omar Sy é um ator incrível e adorei a premissa da série.
    Realmente teve algo meio amador que não combinou muito, mas ok! Vamos ver o que vem nos próximos episódios!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir