BOOKS || Le Chat du Dalaï-Lama (David Michie)

Autor: David Michie
Tradutor: --
Editora: Leduc
Série: Não
Temas: Psicologia, religião, Espiritualidade
Diferentes nomes, muitas experiências e uma rotina dividida entre elevação espiritual, celebridades e situações prosaicas. “A gata do Dalai Lama” é um delicioso e delicado relato de uma felina bastante especial, dona de histórias igualmente singulares e senso de humor. Salva da morte pelo líder espiritual tibetano mais conhecido do planeta, ela passa a usufruir – sem cerimônias – da intimidade de Sua Santidade, de seus ensinamentos e sabedoria. A proximidade com Dalai Lama lhe rende também inusitada notabilidade social, status que atrai curiosidade e abre portas em ambientes diversos. Assim como na vida, a pluralidade é elemento fundamental deste livro.
Mordaz, vaidosa e levemente arrogante, a gata usa a inegável capacidade de adaptação, comum aos felinos, para driblar situações desfavoráveis e manter-se no centro de todas as atenções – e afetos. Em meio a episódios bem-humorados e reflexões existenciais, a obra não resvala na pieguice nem cede à prosa pueril de tantos outros títulos que fazem a busca do autoconhecimento parecer uma interminável abordagem de clichês.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<

"L’idée n’est venue par un beau matin dans l’Himalaya." 

RESENHA<<<
Uma história que levei um certo tempo para começar a ler, mas acho que ele veio no momento certo, afinal eu li no final do ano. Este ano complicado que foi 2020, mas ele traz umas ideias e coisas a se pensar que eu acho interessante e valeu tirar alguns momentinhos e refletir.

Eu li o livro em francês, é um livro que dá para ler se você tiver um nível entre A2/B1, já que tem uns tempos verbais chatinhos – passé simples, passé composé, imparfait e plus que parfait (o terror dos estrangeiros). Mas se você quiser dar uma chance e ler com o dicionário do lado, por que não?

Pela sinopse e no início, a gente acha que a história vai ser meio bobinha porque fala de gatos e sem nada interessante, mas aos poucos a gente vai absorvendo algumas informações e dá para levar para vida. Aliás, tem alguns pontos sobre o budismo, mas não é uma imposição da religião e/ou cultura, ele faz uns pontos da filosofia budista que a gente pode aplicar no dia a dia independente da religião.

A narrativa é leve e fluida, apesar de existir uma ‘linha’, meio que dá para ler os capítulos meio a parte, pois meio que cada capítulo tem seu começo-meio-fim. E mostrando situações diversas da vida, a gatinha do Dalai-lama e as vezes o próprio mostra alguns caminhos ou solta boas frases para reflexão.

Não entendo como um livro de autoajuda, mas vi várias frases e situações que realmente conectaram comigo, ou eu parei para pensar se dentro da minha vida/filosofia eu seguia aquilo, pensava parecido ou tentava analisar os pontos onde poderia melhorar/mudar/ver onde acertei.

Se essa é sua praia, dê uma chance, existe a versão em português. Outra coisa que vi aqui nas livrarias francesas, o autor tem outros livros com essa relação gatos e a filosofia budista.

Share:

0 comentários