BOOKS || Cidade da Lua Crescente (Sarah J. Maas)

Autor: Sarah J. Maas
Tradutor: Adriana Fidalgo
Editora: Galera Record
Série: Sim, livro 1 (série Casa de Terra e Sangue)
Temas: Fantasia, New-Adult, Sobrenatural,
Metade feérica e metade humana, Bryce Quinlan ama sua vida. Durante o dia, ela trabalha para um negociante de antiguidades, vendendo artefatos mágicos ilegais. À noite, ela se diverte com os amigos, saboreando todos os prazeres que Lunathion - também conhecida como Crescent City - tem a oferecer. Mas tudo desmorona, quando um assassino implacável abala as estruturas da cidade - e do mundo de Bryce. 
Dois anos mais tarde, seu trabalho se tornou um beco sem saída, e ela agora busca o esquecimento nas casas noturnas mais famosas da cidade. Mas quando o assassino ataca novamente, Bryce se vê arrastada para uma investigação e juntamente com um infame anjo Caído, cujo próprio passado brutal assombra todos os seus passos. 
Hunt Athalar, assassino pessoal dos Arcanjos, não quer ter nada a ver com Bryce Quinlan, apesar de ter recebido ordens para protegê-la. Ela defende tudo o que ele, uma vez, se rebelou contra e parece mais interessada em se divertir do que resolver o assassinato. Não importa o quão perto de casa ela possa estar. Mas Hunt logo percebe de que há muito mais em Bryce do que aparenta, e que ele vai ter que encontrar uma maneira de trabalhar com ela, se quiser resolver o caso. 
Enquanto Bryce e Hunt correm para desvendar o mistério, eles não têm como saber das ameaças que envolvem a cidade através do submundo, através dos continentes em guerra, até os níveis mais escuros do inferno, onde as coisas que estão dormindo durante milênios começam a despertar... 
Com suspense e personagens inesquecíveis, essa nova série de fantasia ricamente criativa de Sarah J. Maas, explora a dor da perda, o preço da liberdade e o poder do amor.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<

"Havia uma loba à porta da galeria.”

RESENHA<<<

Esse talvez tenha sido um dos livros mais comentados ou esperados do ano e sinceramente, não consegui entender o hype para essa história. Não senti essa escrita maravilhosa e depois de tantos livros que ela já escreveu, esperava bem mais. Pois li apenas o ‘
Trono de Vidro’ (li em 2013) e nem achei tudo isso, várias coisas que senti, estavam no mesmo ponto depois de 7 anos da autora escrevendo...

Começo com os protagonistas, senhor.... que garota chata da po##@, o cara que com certeza a gente já sabia que eles iam ficar juntos (eu só não sabia qual ia ser o momento) ou seja sem nenhum suspense. Uma premissa que até é interessante, mas porque raios enrolar em quase 100 capítulos? Não tem história para isso, dava para tirar com muita sobra uns 30 capítulos e ainda sim teria muita enrolação...

Apesar de querer conhecer esse novo lugar/ grupo que a autora criou, um mundo onde seres angelicais, sereias, lobisomens e fadas ‘parecem’ conviver bem, mas sabemos que na verdade não é bem assim, me fez começar e seguir até o fim, mesmo muitas vezes querendo desistir do que estava lendo. Porém, a medida que a história não avançava, eu pegava ranço dos protagonistas e o mundo que ela criou era pouco explorado. Começo a achar que a autora simplesmente não é para mim.

O universo foi mal aproveitado e explorado, a leitura não fluiu e os personagens legais não apareciam tanto (ou será que os personagens chatos que apareciam demais?), como disse, acredito que se o livro fosse mais enxuto, sem essas partes chatas e desnecessárias, a gente poderia ter uma visão do que de fato ela quis contar. A sensação é que ela jogou tudo que tinha para que se a série rendesse muitos livros ela pudesse ter de onde tirar algumas informações (tipo no livro 1 na página X eu fiz uma pequena menção ao personagem Z e agora vou escrever um livro sobre ele, mas quem liga?).

Para não só falar mal do livro, depois de umas 600 páginas de enrolação, o final fica interessante, mas tem uns momentos que são meio jogados, tipo o vilão fica contado como ele fez para seu grande plano da certo... Poxa, a gente tem o quê? 10 anos que precisa ser tão explicadinho assim? Ou seja, a história não tinha consistência, faltou uma avaliação crítica da editora/agente/ leitores betas e sei mais lá quê.

Para finalizar, vi muita gente comentando que o casal desse livro, as descrições e algumas situações lembram muito o casal de Trono de Vidro, dizendo que foi uma falta de originalidade dela copiar as coisas. Como não li a saga toda (parei no livro 1), realmente não fiz essa comparação, bem como a questão de diversidade/representatividade, mas deixo aqui essa pequena sinalização.

Share:

0 comentários