BOOKS || Alva Lebre, Lobo Avermelhado (Tom Pollock)


Autor: Tom Pollock
Tradutor: Lavínia Fávero
Editora: Plataforma 21
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, Suspense, Mistério,
Aos dezessete anos, Peter Blankman é um prodígio da Matemática. É o raciocínio analítico que o ajuda a manter sua vida em ordem. No entanto, as crises sempre o rondam como um predador voraz – progressivamente, surge a necessidade de se mexer, de falar, de contar até que o pânico nasça ansioso por devorar tudo à sua frente.
No colégio, a única pessoa capaz de compreendê-lo é a amiga Ingrid. Sofrendo de transtorno obsessivo compulsivo, ela é a única ali que é compatível com os transtornos dele. E, para reordenar a lógica da própria existência, Petey sobrevive a cada dia com o apoio de sua mãe ‒ uma famosa cientista ‒ e da irmã, Anabel. Opostos perfeitos, mas proporcionalmente espelhados, os gêmeos se complementam. Bel é o axioma dele, a fúria que acalenta seus medos.
Agora, tudo está ruindo: a mãe foi brutalmente ferida e Bel está desaparecida. O jovem, então, é arrastado para um mundo de espionagem e violência onde segredos de Estado e de família se entrelaçam. Peter será capaz de enfrentar seu terror interno para desvendar o enigma?
Alternando passado e presente, Alva Lebre, Lobo Avermelhado é um thriller inebriante. Mistério, matemática e saúde mental misturam-se numa equação que desafia o leitor, e o resultado é de tirar o fôlego.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
"A minha mãe dá de cara comigo, dentro da despensa."

RESENHA<<<
Ainda não sei o que pensar desse livro. Ao mesmo tempo que achei a história louca, não me admira que ela possa ter um tanto de verdade, mas a questão que fiquei me perguntando é: será que a gente realmente pode ser programado para fazer/agir de uma determinada maneira?

Peter é um menino gênio, mas sofre problemas com bullying, sendo sua irmã gêmea, Anabel seu ponto de segurança, ela que o ajuda a superar seus medos e está com ele em todos os momentos. Mas quando a mãe é ferida, sua vida e de sua irmã começa a perder o foco. O que é/era real? Ou tudo faz parte de uma experiência?

O livro é narrado com duas sequencias: uma no passado, mostrando Peter passando por algumas situações difíceis e agora no presente, onde ele vai levando a sua vida, mostra seus problemas com ansiedade e como ele usa a matemática para ajudá-lo. Sua irmã Anabel é uma constante, mas aos poucos, revisitando suas memórias, ele (e nós) começa a perceber que deixou passar informações importantes.

A história começa devagar, a gente não entende exatamente para onde estamos indos, mas após a mãe dos gêmeos ser feriada, a história evolui para caçadas, descobertas científicas e toda uma história bizarra, onde a mãe poderia ter transformado os filhos em ‘armas’ com suas experiências genéticas. Peter não sabe quem fala a verdade ou porque isso de fato aconteceu. Revisitando suas memórias e com a ajuda de Ingrid (essa personagem enigmática), ele começa a descobrir que as ‘pontas soltas’ do seu passado podem ter o dedo da mãe... ou da irmã.

À medida que a história evolui, as reviravoltas são intensas, realmente teve momentos que eu simplesmente não entendia o fio condutor da história. Confesso que falar de memórias e experiências é algo que se você não é um profundo conhecedor, vai se perder nas explicações. O autor tenta mostrar uma linha, mas tem algumas situações sem respostas (como o final, por exemplo...), acho que foi por isso que todo mundo saiu com a cabeça explodindo...rs

Peter foi um personagem bem desenvolvido, mas os outros nem tanto. Ele aprende a conviver com seus problemas e como contorná-los. Suas buscas, sua maneira de analisar e ir atrás das respostas foi surpreendente, mesmo se em alguns momentos a gente acredite que tem umas doideiras ali.

Bom, para quem deseja tentar algo diferente e um pouco inovativo, vale a pena dar uma chance. A história me prendeu para seguir até o fim e foge um pouco dos temas convencionais que a gente vê constantemente.

Share:

2 comentários

  1. Oi, Andy.
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa com esse lance do não convencional. Tem horas que eu curto umas histórias diferentonas!! Rs...
    Vou anotar a dica!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, foi uma surpresa pois vinha de uma série de livros bem clichés. Vale a leitura, mas abra a cabeça...rs

      Excluir