BOOKS || Inspeção (Josh Malerman)

Autor: Josh Malerman
Tradutor: Carolina Selvatici
Editora: Intrínseca
Série: Não
Temas: Ficção, Lit. Estrangeira, Suspense, Mistério
Rapazes e garotas estão sendo criados em escolas especiais. Um grupo não sabe da existência do outro — até agora. No alto de uma torre embrenhada em uma floresta e isolada do restante do mundo, temos J. Ele é um dos vinte e seis rapazes de um internato que tem como objetivo formar prodígios em artes, ciências e atletismo.
Até hoje J só teve contato com as outras pessoas que vivem ali: os colegas são sua única família e todos acreditam ser filhos do fundador da escola. A vida acadêmica é tudo o que conhecem — e tudo o que lhes é permitido conhecer. Mas J suspeita da existência de algo mais fora dali, para além da Torre em que vive, algo que não querem que ele veja. É então que começa a questionar. Qual o verdadeiro propósito daquele lugar? Por que os alunos não podem sair? E que segredos o pai está escondendo deles? Enquanto isso, do outro lado da floresta, em um internato muito parecido com o de J, uma jovem chamada K vem se fazendo as mesmas perguntas.
Ao investigar os mistérios por trás de suas estranhas escolas, talvez os dois acabem descobrindo algo... que não deveriam.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
"Nunca um menino foi reprovado em uma inspeção."

RESENHA<<<
Olá meus queridos, demorei, mas apareci. Estava em afiações da faculdade, as parciais, as provas macabras serão finais do mês que vem! Mas cá estou para falar sobre esse livro! 

Bom, vamos falar do que interessa! 
Inspeção de Josh Malerman, mesmo autor de “Uma casa no fundo do lago”, “Piano vermelho” e o famoso “Caixa de Pássaros” nos traz um novo enredo e um novo desafio de leitura. 

Seus livros têm características de trazer temas que são lúdicos, psicológicos, especulativa e até críticos em relação a sociedade e outros e não poderia ser diferente, nessa nova história. 

Inspeção nos traz vinte e quatro meninos em uma torre, que são descritos por letras, conhecidos como meninos do alfabeto. Todos criados por uma figura de certa maneira "paterna", Richard, e com muitos professores do sexo masculino, vivendo enclausurados na torre, eles sequer sabem que o mundo lá fora tem mulheres. Esse local e a forma de vida deles sempre foi cheia de regas e disciplina, e desde sempre, desde muito pequenos, eles passavam pela Inspeção, e eram então denominados ou não como "estragados", uma palavra estranha usada para aqueles que viram ou tiveram algum contato com mulheres!

Richard, a figura paterna desses meninos começa a se preocupar com a puberdade onde os hormônios se afloram, tal qual a sexualidade, e com isso mentiras, omissões etc. E os meninos de fato estavam vivenciando essa fase onde não entendem bem o que está acontecendo com seu corpo etc. Eles sentem alterações, mas não as entendem como  e é aí que conhecemos melhor J, pois ele começa a não apenas aceitar o que lhe é ensinado ou imposto, ele questiona, tem sede por informações, por entender, tem a curiosidade que qualquer ser humano teria e tem; com todas as dúvidas que vem permeando sua mente, ele se pergunta o que há além da torre ou mesmo da floresta. Poderia haver algo além daquilo que eles vivem? E aí muitas mudanças e situações começam a vir a tona, como se Richard é pai deles mesmo, e outras questões! 

Mas quem pensa que isso ocorre apenas com esses meninos se engana! Pois tem vinte e cinco meninas, também em situação parecida com a dos meninos do alfabeto, elas são conhecidas como Meninas do Abecedário, criadas da mesma maneira desde bebês e sem saber da existência dos meninos ou homens! E em certo momento K, faz um desenho que desperta o interesse da "Mãe", figura materna das tais meninas, e desde então começa a ser questionada do porquê de seu desenho. É óbvio que tantas perguntas levantam mais perguntas e curiosidade, fazendo com que K comece sua busca pelas respostas que não tem ainda. 

Tudo se trata de um experimento, como todos devem ter percebido desde o início dessa leitura e com um pouco de paciência o desenrolar da história vai respondendo algumas das perguntasse que nós leitores vamos nos fazendo no decorrer das páginas! O experimento parece se tratar de pessoas que acreditam que se os meninos e meninas fossem criados de forma separada, sem o conhecimento de um e outro, eles poderiam alcancei determinado auge intelectual, que supostamente não é possível com a convivência mútua! Afinal em várias situações da vida, os relacionamentos podem atrapalhar, mas em outros salvam não é mesmo? Mas não é isso que os idealizadores dos experimentos pensam! 

Como característica do autor, ele traz críticas sociais, muitas metáforas e algumas bizarrices. O livro em si tem um tema muito interessante, mas demora um pouco a acontecer e isso é um pouco cansativo em alguns momentos! 

Considero o livro como um terror psicológico já que os meninos e meninas eram doutrinados a acreditar em tudo que lhes era passado sem questionamentos e que se algum deles fosse considerado "estragado" algo terrível iria acontecer! 

Já tenho certa experiência com a escrita do autor e por isso não me frustro mais nas faltas de respostas ou forma como ele conduz certos pontos do enredo. Ele tem uma criatividade maravilhosa, mas as vezes parece que fica um pouco confusa quando posta no papel e não tem ninguém por perto para dar um toque em determinados pontos que poderiam ser melhorados. Mas não posso negar que ele nos estimula a pensar e até mesmo criar uma teoria por nós mesmos em determinados pontos da história ou histórias se eu falar dos outros livros do autor! 


O livro é bom, tem uma premissa excelente e uma narrativa que leva um tempo para engrenar, mas vai! Inspeção é mais uma obra diferente e até especulativa de uma mente criativa em desenvolvimento constante!  

Share:

2 comentários

  1. Oi, Karini.
    Ainda não tive oportunidade de ler todos os livros do autor, mas li o A Casa no Fundo do Lago e achei tudo muito pirado, de um jeito bom. Tenho outros dois livros dele na estante e quero tentar dar uma chance para eles antes de me arriscar a comprar esse novo livro! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Também li Uma Casa no Fundo do Lago. O livro vai bem uma boa parte da história, desperta curiosidade, usa metáforas, mas teve umas duas cenas que me incomodaram muito, não sei se vai lembrar do esperma flutuante que foi bizarro na cena de sexo na casa. E depois no final! Entendo as metáforas e também a parte especulativa. Os livros são bons, mas nem sempre o autor consegue passar credibilidade e entendimento em alguns pontos, e acaba parecendo meio louco mesmo! Caixa de Pássaros também é um livro que segue mesma linha e vou te falar de certa maneira o filme me atrai bem mais que o livro, apesar de eu ter curtido o livro.


    Eu brinquei aqui comentando com a família que o autor deve tomar uma chás de cogumelo e usar maconha para se inspirar! Kkkk porquê as vezes tem uns lances loucos demais!

    Mas não torna a escrita ruim! Pelo contrário, só queria que uma casa no fundo do lago tivesse se mantido naquele romance (que nem gosto), no mistério da casa e tal. Mas ele foi além disso e ainda nos deixou margem para pensar além!

    ResponderExcluir