BOOKS || A Chama de Ember (Colleen Houck)


Autor: Colleen Houck
Tradutor: Ana Ban
Editora: Arqueiro
Série: Não
Temas: Ficção, Jovem-Adulto, Fantasia
Quinhentos anos atrás, Jack fez um pacto com um demônio e acabou condenado a uma eternidade de servidão. Como um lanterna, seu único dever é guardar um dos portais que levam ao reino imortal, garantindo que nenhuma alma se infiltre onde não é bem-vinda. Jack sempre fez um excelente trabalho... até conhecer a bela Ember O’Dare.
Há tempos, a bruxa de 17 anos vem tentando enganar Jack para atravessar o portal. Insistente, sem temer os alertas dele, Ember enfim consegue adentrar a dimensão proibida com a ajuda de um vampiro afável e misterioso, e então tem início uma perseguição frenética através de um mundo deslumbrante e perigoso.
Agora Jack precisa resgatar Ember antes que os universos terreno e sobrenatural entrem em colapso e se tornem um caos.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
"Jack estava no alto da ponte coberta, sentado em seu lugar preferido, abraçando a abóbora entalhada. "

RESENHA<<<
Estava agarrada nesse livro e demorou um pouco para sair/finalizar ele. Confesso que fiquei surpresa com a nota ser tão positiva. Me pergunto se não é devido as outras séries da autora, principalmente aquela do Tigre e como consequência, tudo que o autor escreve seus fãs avaliam positivamente.

A ideia geral de ‘A CHAMA DE EMBER’ é boa, mas carece de aprofundamento, a autora cria um mundo novo, chamado aqui de Outro Mundo, mas o descreve de forma bem simples, o que é uma pena, pois percebi que tinha tanta coisa a explorar. Vale também para os personagens e até a própria história.

A narrativa foi muito chata e arrastada, tive muitos problemas para conseguir dar sequência na história, lia poucas páginas e ou estava dormindo e precisava reler algumas coisas ou não estava animada para seguir em frente. Talvez um fã da autora tire isso de letra, para os outros recomendo atenção...

A história fala de sobrenatural e fantasia, as vezes misturas certos momentos entre a nossa história (da humanidade) e a ficção que podem se desencontrar, mas fingi que estava tudo ok. Isso não impacta diretamente no contar da história geral, mas se você quiser entender pode bugar seu cérebro.

Os personagens não me cativaram muito, exceto Jack, a própria Ember parece em 80% do tempo uma pirralha meio chata e irritante que acaba metendo todo mundo numa mega confusão, simplesmente porque não escuta os outros. Talvez a maior reviravolta tenha sido o Doutor, sem entrar muito no mérito para evitar spoiler e alguns momentos mais tensos.

Falando de momentos tensos, as explicações de algumas situações foram bem jogadinhas. Sabe quando a história chega em um ponto que não há mais nada para falar e você precisa de algo? Geralmente era aí que a autora colocava algum tipo de reviravolta. Não que elas foram ruins, mas as informações sempre eram abruptas.

Foi uma leitura ok, mas pelo nome da autora e até pela sinopse, confesso que esperava mais...muito mais.

Share:

0 comentários