BOOKS || Sempre Teremos o Verão (Jenny Han)

Autor: Jenny Han
Tradutor: Mariana Rimoli
Editora: Intrínseca
Série: Sim, Livro 3 (série Verão)
Temas: Jovem-adulto, Romance, Comportamento
A vida de Isabel Conklin é marcada pelas férias de verão. As outras estações do ano são como um intervalo, dias que passam lentamente enquanto ela espera que o sol lhe traga de volta o que mais ama: o mar, descanso, diversão e, principalmente, Conrad e Jeremiah Fisher.
Os garotos da família Fisher sempre estiveram ao lado de Belly em suas aventuras. Conrad é ousado, sombrio, inteligente. Já Jeremiah, é confiável, engraçado, espontâneo. Mesmo sendo tão diferentes, os três constroem uma amizade que parece inabalável. Apenas parece...
Tudo muda quando, em uma dessas férias, Conrad demonstra sentir algo por ela. O problema é que Jeremiah faz o mesmo. À medida que os anos passam, Belly sabe que precisará escolher entre os dois e encarar o inevitável: ela vai partir o coração de um deles.
Na trilogia Verão, acompanhamos Belly dos 15 aos 24 anos. Em meio a descobertas e mudanças, ela se apaixona, se envolve em um triângulo amoroso, entra na universidade e descobre que amadurecer também significa tomar decisões difíceis. Primeiros romances jovens de Jenny Han, os três livros são agora relançados pela Intrínseca, com novas capas e traduções inéditas.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
"Quando você está no fim da semana de provas e estudando há cinco horas direto, três coisas são necessárias para sobreviver à noite: a maior raspadinha que conseguir encontrar, metade sabor cereja, metade Coca-Cola.

RESENHA<<<
Final de série no blog!! Para acompanhar os anteriores, clique:

Olá! Finalmente eu trouxe a última leitura dessa trilogia que me encantou, principalmente por não ser um tipo de gênero que leio com frequência; mas que me agradou muito. Jeny Han, escreve de maneira gostosa, fluída e simples e nos encanta com situações que podem facilmente ser vistas como corriqueiras e do dia a dia, trazendo reflexões e até aquela sensação saudosa de uma época semelhante em que já vivemos, já que hoje tenho meus trinta e quatro anos, mas me recordo do primeiro amor, primeiro beijo, as decepções e afins.

Uma amiga querida leu esse livro e disse que o final a desagradou muito, no meu caso, achei aceitável e até de certa maneira coerente, tal qual é na vida, que nem tudo acontece como queremos, planejamos ou sonhamos.


Pode conter spoilers dos volumes anteriores!

Neste volume, Belly já está na faculdade e Jeremiah também, ela está no primeiro ano e ele no segundo e ainda que ela ame Jeremiah, ela ainda sente algo por Conrad. O que já era de se esperar diante toda história que acompanhamos até aqui.


Após uma briga, Jeremiah pede Belly em casamento e como esperado, ela aceita, mesmo que toda a família seja absolutamente contra essa decisão de ambos, afinal, eles são apenas "crianças".


Porém Belly vai passar um tempo na casa de verão e ela acaba encontrando Conrad, o que a faz de muitas maneiras relembrar o que ela sente por ele e isso a balança; falta pouco para que o casamento ocorra e ela está muito confusa sobre o que realmente quer e sobre o que deve fazer com seu futuro. 


O que é certo? É possível amar duas pessoas? Mas no fundo ela sabe como ama cada um deles e a escolha do seu coração, para mim, parecia bem óbvia desde sempre. E para que as coisas fiquem ainda mais complicadas para o lado de Belly, pela primeira vez, tavez na vida dos dois, Conrad se abre com sinceridade para Belly, nas vésperas do casamento e o que será que acontece? Leiam!

Gente! Essa história em inúmeros momentos nos deixa bem indecisos sobre o amor seguro e aquele que é incerto. O menino rebelde e aquele que sempre foi um porto seguro. Mas não é possível mandar no coração não é mesmo? Pelo menos eu vejo assim. Me peguei torcendo por muito, muito tempo por um deles, para que aquela fosse a escolha de Belly, mas não foi bem assim. Apesar de todo amor que ela sente. Como se entregar por completo para um, ainda que o ame, se o outro sempre foi o amor da sua vida, ainda que tenha te magoado por inúmeras vezes?


Acho que aqui, eu já entrego o que ocorre. Mas a decisão não foi exatamente de Belly. Foi do meu personagem preferido. Sabia que ele não iria me decepcionar, pois penso como ele, ou temos por inteiro ou deixamos ir! Isso é amar!

Belly teve o final que eu achei que seria previsível, pois afinal, sempre foi aquele o amor de sua vida! 

Apesar de eu ter me deixado sonhar com outro final, eu já sabia que a autora terminaria dessa forma. E totalmente entendo! 

Adorei a trilogia e super recomendo!

Beijos. 

Share:

0 comentários