BOOKS || À Beira da Eternidade (Melissa E. Hurst)


Autor: Melissa E. Hurst
Tradutor: Glenda D’Oliveira
Editora: Galera Record
Série: Sim, Livro 1 (série À Beira da Eternidade)
Temas: Jovem-adulto, Ficção, Viagem no Tempo, Mistério
Mistério, romance, drama e viagem no tempo no primeiro livro de Melissa E. Hurst.
2146. Bridger é uma das poucas pessoas com a habilidade de viajar de volta ao passado. Uma habilidade que lhe foi passada pelo pai, cuja morte – envolta em mistério – o garoto tenta superar. Aos poucos, sua vida parece voltar ao normal... Até que o garoto encontra o pai em uma de suas viagens no tempo com a turma. Ele só tem tempo de lhe passar uma mensagem: Salve Alora. Bridger não tem ideia de quem seja a garota, nem de onde ela está ou em que tempo vive, mas está determinado a realizar o último pedido do pai.
2013. Alora Walker tem apagões inexplicáveis. Ela acorda toda vez em um lugar diferente, e não tem ideia de como chegou lá. A única coisa de que tem certeza é que está sendo seguida. Mas por quem?
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
"Os cadetes ao meu redor estão surtados."

RESENHA<<<
Vou ser muito sincera, ainda não sei se achei esse livro bem mala ou só mais ou menos. A premissa prometia tanto, mas a história ficou bem a desejar, acredito que a ideia é boa (muito boa), mas a execução e a ordem de algumas informações ficaram confusas e deixam o leitor com esses sentimentos de não sei exatamente o que pensar.

O início e o fim são bons, intensos, cheios de ação, mas o meio é muito ruim. E esse é o problema, por que o meio tem muita história?! Que não nos leva à lugar nenhum e fica um pula para cá e para lá de passado/futuro que samba com tudo.

A maior parte do livro se passa em 2013, onde temos Alora, uma menina que sofre apagões e tem uma história bizarra que só vai ser revelada mais para o do final do livro, que poderia ter sido revelada antes porque a coisa é local e quem acreditaria em 2013 em viagens no tempo? Em 2146, Brigder ‘recebe’ uma missão de ajudar essa menina que ele nunca ouviu/viu na vida e nem sabe do que se trata.

Meu ponto todo é esse, as histórias não se conectam de forma interessante, a gente tem 2146 com todo seu mundo tecnológico e podemos visitar o passado e de repente o pai do garoto (que está morto) aparece numa missão e diz que ele precisa salvar a garota, claro que sem nenhuma explicação. Aí ele vai para 2013 e aí que vamos descobrir mais dele e da menina.

Acho que quando os 2 estão juntos, ficou muita lenga-lenga que não leva à nada, porque ele não pode contar o que ela está tendo, a mesma não sabe da história e ele não sabe quem ela é, ou seja, quase 2/3 de livro com romance e fugindo da história. Acho que foi isso que me incomodou mais. A autora não construiu nada épico em 2146 e nem 2013, e quando ela vai desenvolver o futuro, acaba sendo meio corrido pois ela ficou enrolando demais em coisas que não são interessantes.

Já li a sinopse do livro 2 (em inglês) e parece que a história vai se passar no futuro, onde espero que seja mais desenvolvido e claro, aquele babado clássico de futuro que já conhecemos. Vamos aguardar.

Share:

2 comentários

  1. Oi, Andy.
    Ultimamente tenho gostado muito de encontrar críticas negativas em relação a um livro. Como temos gostos parecidos, já sei que nem preciso me preocupar com essa leitura! Com tantos livros aqui na estante esperando por uma chance, não vou me arriscar com uma história assim! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso q li com mta expectativa, pq o tema me interessa, mas é aquela leitura bem +ou-...rs

      Excluir