BOOKS || Mapmakers (S. E. Grove)

Autor: S. E. Grove
Tradutor: Paulo Ferro Jr
Editora: Verus
Série: Sim, (série Mapmakers)
Temas: Aventura, Infantojuvenil, Viagem no Tempo, Ação
Ela conhecia o mundo somente por meio de mapas. E não tinha ideia de que eles poderiam ser tão perigosos. Boston, 1891. Sophia Tims vem de uma família de grandes cartógrafos. Desde a Grande Ruptura em 1779, quando todos os continentes foram lançados a uma era diferente – da pré-história a um futuro distante – esses exploradores viajam e mapeiam o que é conhecido como Novo Mundo. Há oito anos, desde que seus pais não retornaram de uma missão urgente, ela vive com seu tio Shadrack, o melhor cartógrafo em Boston. A vida com seu brilhante, adorado e distraído tio, ensinou Sophia a cuidar de si mesma. Quando Shadrack é sequestrado por pessoas que estão atrás de um poderoso artefato, ela é a única que pode salvá-lo. Ao lado de Theo, um refugiado do oeste, ela embarca em uma aventura por cidades secretas e mares desconhecidos baseando-se apenas nos mapas deixados por seu tio e sua intuição. O que Sophia e Theo não sabem é que suas próprias vidas estão em perigo quando se descobrem segredos há muito enterrados. O mapa de vidro vai fazer você mergulhar em um mundo de fantasia autêntico e intrigante, com uma heroína que vai ganhar o seu coração. 
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Aconteceu há muito tempo, quando eu era apenas uma criança.”

RESENHA<<< 
Essa foi uma série que me deu muita dorzinha no coração porque acho que foi super mal divulgada e nossa, ela é linda e maravilhosa, tem um super mundo construído e já quero ver um filme ou série com esses livros, porque simplesmente merece!

A autora criou um mundo e deu uma sacudida, misturando temas como cartografia, exploração e muitas aventuras. O mundo criado pela autora é muito rico e cheio de nuances, como muitos detalhes, chegando as vezes a ser bem denso, principalmente no primeiro livro, onde o mundo precisava ser entendido e a autora nos mostra diversas Eras no mesmo momento. Imagina encontrar países que vivem na época de 1500 e seus mapas e costumes agora em 2018? A ideia é mais ou menos essa.

Apesar de amar a ideia e a história em si, o primeiro livro é bem pesado, pois o leitor precisa entender muita coisa em pouco tempo e isso fez o livro ficar cansativo, arrastado e algumas vezes confuso demais. Mas depois que você se conecta, a coisa flui de maneira fantástica.

Os personagens são bem construídos e cheios de camadas, em cada livro uma nova camada é revelada e temos mais informações, não só a respeito do que está acontecendo no momento, mas do seu passado e sua relação com a aventura de Sophia e sua busca pelo mundo e eras.

No segundo livro, outros personagens ganham mais presença e começamos a compreender mais o que são os mapas, seus diferentes tipos e como essa colcha de retalhos que o mundo se transformou começou a se formar. As explicações sobre o mundo já não são mais tão necessárias como no livro anterior e com isso a história se aprofunda mais, os dramas, as histórias e o mundo ao redor.

Sophia é uma personagem que amei muito, ela é persistente, ambiciosa e também passa muitas emoções, a busca pelos pais, toda a aventura que ela vive, tudo que descobre e como ela vai lidar com tudo isso. Lembro que Sophia é uma menina na faixa de 12 anos. Mas o livro traz informações e detalhes interessante para todas as idades.

Confesso que esperava um super final, não sei se me apaguei muito à Sophia e os outros personagens, ou se estava muito envolvida com a densidade de tudo, mas assim que terminei não curti o fim. Mas remoendo o final e tentando entender porque a autora quis terminar assim, entendi que era um final real e plausível. Eu que estava apegada à certas ideias mesmo.

No livro 3, temos 2 pontos de vista – um com Sophia e o outro com seu tio, e eles se completam, pois nós leitores sabemos tudo que acontece, mas eles não, já que algumas coisas só fazem sentido quando sabemos de tudo, logo os personagens as vezes ficam perdidos sem as informações.


No geral, os 3 livros se completam e percebemos a história sendo finalizada de forma correta e elegante, as explicações e os detalhes de cada mundo e momento são revelados. Talvez tenha tido alguns momentos que as coisas passaram bem rápidas e um pouco ‘desleixadas’ em relação aos livros anteriores, mas no geral a história finalizou bem. E vou indicar essa série, principalmente para quem leu as ‘Fronteiras do Universo’, que não acho que seja a mesma coisa, mas temos várias lembranças dessa série ao ler ‘Mapmakers’.

Share:

0 comentários