BOOKS || Dando um Tempo (Marian Keyes)

Autor: Marian Keyes
Tradutor: Carolina Simmer
Editora: Bertrand Brasil
Série: Não
Temas: Romance, Comportamento, Relacionamento, Chick-Lit
Amy e Hugh vivem o que se pode chamar de casamento perfeito, e apesar de o dinheiro ser curto e o estresse ser muito, sua vida segue uma rotina confortável... até que a morte do pai e de um grande amigo desencadeia em Hugh uma intensa crise durante a qual ele decide que precisa dar um tempo de tudo, sobretudo da vida a dois, e parte rumo ao sudeste asiático, por onde viajará por seis meses. Incapaz de fazer o marido mudar de ideia, Amy sabe que muita coisa pode mudar nesses seis meses.
Quando Hugh voltar — se voltar —, será ainda o mesmo homem com quem se casou? E será ela a mesma mulher? Afinal, se ele está dando um tempo do casamento, ela também está, não é?
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“– Eu e Hugh – digo – vamos dar um tempo.”

RESENHA<<<
Irei confessar que tenho uma certa birra com Marian Keyes, todos seus livros falam sobre mulheres e suas relações, seja com as famílias, namorados, maridos, filhos, trabalho. Até gosto dessa ideia de falar das coisas do dia a dia, porque no geral a vida de todos nós é assim, sobre dramas e relacionamentos, porém eu fico meio P da vida, pois muitas vezes ela acaba colocando suas protagonistas em segundo plano, como se elas só fossem feliz se tivesse maridos, ou em um relacionamento. E aqui não é diferente.

O livro fala de Amy, uma personagem complexa que aos poucos vai contando seu presente, mas também seu passado. Como sua vida foi evoluindo (ou não) para chegar ao momento presente. Até que seu marido – Hugh, diz que precisa de um tempo sozinho. A regra é viajar durante 6 meses, sozinho...como solteiro e depois desse tempo, ele voltaria e as coisas iriam continuar.

O livro conta as reações de Amy, algumas ótimas e outras sem noção, as vezes me irritei quando ela não tomava iniciativa, as responsabilidades que ficou sob ela, abrir mão de tudo por todos, menos por ela. Confesso que em muitos momentos teria mandando todos irem à merda. Em outros entendi alguns bloqueios e pensamentos da personagem. Mas, observei o quanto nós, mulheres, ficamos encarregadas de tantas coisas e acabamos aceitando migalhas e por mais que a gente esteja certa, parece que estamos errando e nada está certo.

A narrativa teve pontos altos e baixos, em alguns capítulos eu amei a maneira como ele era narrado e as informações passadas, mas em outros momentos, meu Deus, foi um porre, era arrastado e cansativo. Vejo que na maioria dos casos era quando acontecia as coisas nonsense na vida de Amy ou quando as filhas e marido enchiam o saco dela e ela aceitava tudo.

A personagem é bem real, nesse ponto, gostei bastante de como ela foi descrita e desenvolvida. Ela é rica e tem história, seus altos e baixos, uma história. A única coisa triste para mim foi o final, achei que a personagem após compreender algumas situações, acaba aceitando menos do que deveria, a ideia é o medo de ficar sozinha e isso eu achei tão pouco, principalmente por tudo que ela passou e tudo que fizeram ela passar.


Como disse no início, tinha um tempo que não lia nada da Keyes porque para mim, na maioria dos seus livros, ela acaba colocando as mulheres para baixo e fazendo com que elas aceitem menos do que deveriam senão a Sociedade vai falar, os amigos e sei lá quem. E acredito que uma autora tão lida quanto ela deveria colocar as mulheres pra cima, mostrar que podemos ser quem quisermos. Vou aguardar um próximo na torcida...

Share:

0 comentários