TRIP || Bruxelas, Bélgica


O legal da Europa é que tudo é relativamente perto, nada que 1h30 (no máximo não resolva) e eis que de repente você vai conhecer alguns países ou cidades que você jamais imaginou e o país que fui visitar no réveillon nem tinha passado pela minha cabeça, mas já que não estaria com a minha família, pensei... porque não conhecer um lugar diferente?

Começo dizendo que nem fiz o meu dever de casa e praticamente fui na cara e na coragem e achei bem legal, sim, eu tinha algumas ideias, mas agora eu mal chego no lugar e já corro para o Office de Tourisme e pego mapinhas e muitas vezes tem indicações de alguns passeios (na maioria pagos), mas são dicas que valem ouro.

Outra coisa que usei e estou amando é o tal do ‘Free Walking Tour’, sério é muito bacana, você anda pela cidade com algum guia contando sobre os pontos mais importantes, os detalhes, as piadinhas e os momentos divertidos ou não daquela cidade e isso é demais. Praticamente todas as cidades têm. A grande maioria é em inglês, mas em Bruxelas achamos uma espanhol (não tinha em francês, choquée).

O que podemos falar de Bruxelas? Batata-frita!!! Sim, tinha em todos os cantos e com molhos estranhos, é a nossa batata no cone (povo da bienal sabe do que estou falando), sinceramente não achei nada demais e depois de uns 2 dias não aguentava mais comer batata e queria comida de verdade.

Falamos de coisas boas – chocolates. Não sou a louca dos chocolates (sim, na França temos barras de Lindt no mercado super baratas e quase não compro porque dura eternidade, mas claro que tive de experimentar os bons chocolates como Godiva – MARA!, Neuhaus, Guylian e os diversos chocolates das lojinhas, pode se jogar, praticamente todos são bons e não importa seu bolso, vale trazer uma caixa.

O transporte na Bélgica é meio doidinho, porque as vezes você pega o metrô e do nada rola um mini bonde, mas tudo é super sinalizado e você pode ir de boa para todos os cantos da cidade sem medo de ser feliz.

Lugares que vocês devem visitar:
- GRAND PLACE
Sério, morri nessa praça. Uma árvore gigante de Natal, música, coisas lindas, fiquei encantada no réveillon porque tinha esse plus, mas a praça é linda com tanta arquitetura, história e tem muitos cafés e restaurantes. Todo lugar tem algo lindinho para tirar foto, a maioria dos Free Walking Tours começam aqui.
- MANNEKIN-PIS
Olha, eu achei que a estátua era maior, fiquei meio desapontada e depois descobri que tem uma menina mijona, kkkk. Mas, vale a visita e tirar foto, mas você vai brigar com todos os turistas.
- LES GALERIES ROYALES SAINT-HUBERT
Maravilhosa, arquitetura linda, é coberta tem ótima lojas, as lojas chiques de chocolates também estão presentes, vale andar e apreciar essa maravilha arquitetônica.
- QUADRINHOS
Não fui no museu de quadrinhos, mas tem arte espalhada pelos muros em toda cidade, alias se você conhece o Tintin, ele é belga e fui na loja dele e tem tantas coisas lindas, mas já vi fotos dos museus e acho que vale a pena.
- IGREJAS
Coloquei no plural, porque há muitas e vale a visita, nem que seja para conhecer, dar uma volta e sair em busca da próxima. Na parte central da cidade, tem muitas coisas próximas para visitar (isso é ótimo porque você vai andando e tirando muitas fotos e se impressionando com tudo.
- ATOMIUM
É um pouquinho longe, mas vale a pena. Da época que existiam as famosas Exposições Mundiais (sim, a torre Eiffel também era para uma exposição temporária que virou permanente), a representação de um cristal de ferro, traz muitas coisas legais, com escadas rolantes a perder de vista e muita história, vale a visita.
- CERVEJAS
Não sou cervejeira, mas amei ir na Delirium e beber várias coisas diferentes, com frutas, cafés e coisas assim, mas a casa fica super cheia, então se quiser sentar, precisa chegar cedo, mas gostei de passar perrengue e me diverti muito nesse dia, gente do mundo todo, fala-se muitas línguas e como diz o ditado ‘Ninguém faz amigos bebendo leite’.
- BRUGES
É uma cidade gracinha perto de Bruxelas que dá para fazer bate-volta. Há outras cidades como Antuérpia e Ghent.

Deixo uma dica: o aeroporto da lowcost Raynair é bem longe do centro e precisa pegar um ônibus que faz a linha aeroporto-centro, então muito cuidado com horários de chegadas e saídas da cidade.

Share:

0 comentários