BOOKS || Os Bons Amigos (Hannah Kent)


Autor: Hannah Kent
Tradutor: Celina Portocarrero
Editora: Globo Livros
Série: Não
Temas: Fantasia, Ficção, Romance
Interior da Irlanda, 1825. Nóra sobrevive com dificuldade após a morte repentina do marido. Ela se vê sozinha, sendo a única responsável por cuidar do neto, Micheál, uma criança que não fala nem anda. A missão da vida de Nóra se torna descobrir o que aconteceu com o menino saudável e feliz dos tempos em que sua filha ainda era viva. Mary chega ao vilarejo exatamente quando os rumores sobre infortúnios e doenças inexplicáveis começam a se espalhar. As pessoas acusam Micheál de ser alguém muito diferente do que um mero garoto aleijado e o culpam por todas as desgraças que assolam as redondezas. Nance entende da magia dos tempos ancestrais e sabe como usar as plantas da floresta para curar os males do corpo e da alma. Para o novo padre da região, ela é uma ameaça, porém, para o povo do vilarejo, Nance é uma emissária da salvação. Essas três mulheres se unem na esperança de salvar Micheál e manter o mundo de mitos, fé, rituais e tradições onde foram criadas. Essa busca as levará por um caminho perigoso, que fará com que questionem tudo aquilo que conheceram até então.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
"O primeiro pensamento de Nóra quando lhe trouxeram o corpo foi que não poderia ser o do seu marido."

RESENHA<<<
Um livro que mistura crenças, desejos e situações que são passadas pela família, vizinha e uma certa mistura de fatos que realmente aconteceram em 1826 na Irlanda. A relação da Igreja, que estava começando a se tornar uma forte presença, um vilarejo distante e as relações da população e seus medos.

Temos Nóra, uma mulher forte e batalhadora, que depois da morte do marido se vê sozinha para cuidar do neto, que até uns 2 anos, era uma criança linda e cheia de vida, mas por algum motivo que não sabemos, ele mudou completamente e hoje em dia não anda e fala.

O livro mostra o dia a dia de Nóra e de outras pessoas do pequeno vilarejo, mostra a situação de uma mulher sozinha, das crenças nos encantados, que muitas vezes trocam as crianças. Bem como a relação de amor e ódio da Igreja e seu novo padre com a idosa Nance, uma curandeira que faz rezas e acredita que tem o dom das criaturas – os bons amigos (título do livro e como ela os chama).

A narrativa não me agradou logo no início, mas aos poucos fui fisgada pela história e queria saber de fato como seria essa relação – Nóra, Nance e o neto, mas há toda uma situação vivida na vila, onde há uma relação de acreditar desacreditando nas criaturas e quando alguns pedidos não são atendidos, vinganças e disse me disse acontece.

Vale lembrar que a história se passa por volta de 1800, e que na maioria das vezes a gente faz as coisas de um certo jeito porque fomos ensinados assim. O livro mostra essa ideia da religião brigando com crenças antigas. E como a pobre população fica tentada a acreditar em coisas porque alguém falou que era pecado ou errado.

O livro traz uma boa reflexão e no final faz as relações dos acontecimentos de 1826. Temos ótimos personagens e uma leitura um pouco arrastada, principalmente até 25/30% do livro que é finalmente o momento que a gente conhece todo o universo que vai ser detalhado.
Vale a leitura!

Share:

1 comentários

  1. Oi, Andy.
    Estou fugindo um pouco desse tipo de livro com o início arrastado... Rs!
    Minhas leituras estão super atrasadas e se o livro não engrena logo de cara, passo para outro!! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir