BOOKS || As Fúrias Invisíveis do Coração (John Boyne)

Tradutor: Luiza A. de Araujo 
Editora: Companhia das LetrasUniverso dos livros
Série: Não
Temas: Ficção, LGBT, Lit. Estrangeira
Cyril Avery não é um Avery de verdade ou, pelo menos, é o que seus pais adotivos lhe dizem. E ele nunca será. Mas se não é um Avery, então quem é ele? Nascido nos anos 1940, filho de uma jovem solteira expulsa de sua comunidade e criado por uma família rica irlandesa, Cyril passará a vida inteira à mercê da sorte e da coincidência, tentando descobrir de onde veio — e, ao longo de muitos anos, lutará para encontrar uma identidade, uma casa, um país e muito mais. Além das incertezas de sua origem, ele tem de enfrentar outro dilema: é gay numa sociedade que não admite sua orientação sexual. Autor do best-seller O menino do pijama listrado, John Boyne nos apresenta à sua maior empreitada literária até então, construindo uma saga arrebatadora sobre aceitar-se e ser aceito num mundo que pode ser cruelmente hostil. Uma leitura necessária para os dias de hoje, que reitera o poder do amor, da esperança e da tolerância.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Muito tempo antes que descobríssemos que ele tinha dois filhos com mulheres diferentes, um em Drimoleague e outro Clonakilty, o padre James Monroe usou o altar da igreja de Nossa Senhora, Estrela do Mar, paróquia de Goleen, West Cork, para denunciar a minha mãe como puta.” 

RESENHA<<<
Bom dia pessoas lindas! Sentiram minha falta? Eu senti a de vocês!!! Hoje vim falar de um livro que li faz um tempinho e que me surpreendeu muito.

‘As Fúrias Invisíveis do Coração’ carrega um nome para lá de conhecido e aclamado por muitos. John Boyne, com certeza já ouviram falar do autor e se não ouviram. Corram para pesquisar!

Uma história fantástica, reflexiva e tocante! Trata de assuntos diversos, e tem como tema principal o amor e o preconceito. Nesta história impactante iremos acompanhar a vida de Cyril, um jovem que veio de uma mãe solteira. O livro é ambientado em meio ao século XX até os dias atuais em uma época muito conservadora e onde a religião dominava em grande parte - Irlanda do Norte.

Cyril teve sua vida logo cedo revirada ao ser entregue a um orfanato e mais tarde à uma família que não cumpriu bem seu papel no quesito paternal amoroso ou fraternal amoroso; porém apesar disso, teve boa educação e não lhe faltou as demais coisas necessárias. Sua família se baseia em um pai que sonega impostos e pode ser preso, enquanto sua mãe adotiva parece alheia ao mundo se preocupando apenas com seu mundinho.

Em dado momento Cyril conhece Julian, filho de um advogado, nesse período, eles passam um tempo juntos e vão se conhecendo e acontece uma certa ligação imediata.

Eles acabam indo estudar juntos e com isso dividem um dormitório intensificando ainda mais a amizade que surgiu entre os dois anos atrás e logo Cyril passa a ter certeza que não é como nenhum outro. Ele é homossexual e seu amor se volta para Julian. Em tempos conservadores ao extremo; imaginasse que a vida de Cyril não será fácil. E ele terá de enfrentar muitas coisas e situações.

Voltando à ambientação da história. O livro é narrado em primeira pessoa e se passa no pós-guerra e em um período que a religião dominava a população com uma tirania e punho de ferro! 

O que se pode esperar dessa história? Emoções a flor da pele, grandes reflexões e angustias e sentimentos que extravasam às páginas atingindo o leitor em cheio e emocionando do começo ao fim! Apesar disso, não pensem que é apenas drama e sofrimento. A história tem vários momentos de descontração genuínos e isso é uma coisa que achei mais que incrível em um tema como esse. John Boyne sabe distribuir cada item na medida certa e com isso nos presentear com uma história que certamente irá se tornar querida em sua estante.

Leiam!

Share:

1 comentários

  1. Oi, Karini.
    Apesar de ter alguns livros dele na estante, ainda não tive a chance de ler nada do autor. Pretendo mudar isso em breve!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir