BOOKS || Mindhunter (John Douglas e Mark Olshaker)

Autor: John Douglas e Mark Olshaker
Tradutor: Lucas Peterson
Editora: Intrínseca
Série: Não
Temas: Suspense, Investigação, Memórias
Em detalhes assustadores, Mindhunter mostra os bastidores de alguns dos casos mais terríveis, fascinantes e desafiadores do FBI.
Durante as mais de duas décadas em que atuou no FBI, o agente especial John Douglas tornou-se uma figura lendária. Em uma época em que a expressão serial killer, assassino em série, nem existia, Douglas foi um oficial exemplar na aplicação da lei e na perseguição aos mais conhecidos e sádicos homicidas de nosso tempo. Como Jack Crawford em O Silêncio dos Inocentes, Douglas confrontou, entrevistou e estudou dezenas de serial killers e assassinos, incluindo Charles Manson, Ted Bundy e Ed Gein.
Com uma habilidade fantástica de se colocar no lugar tanto da vítima quando no do criminoso, Douglas analisa cada cena de crime, revivendo as ações de um e de outro, definindo seus perfis, descrevendo seus hábitos e, sobretudo, prevendo seus próximos passos.
Com a força de um thriller, ainda que terrivelmente verdadeiro, Mindhunter: o primeiro caçador de serial killers americano é um fascinante relato da vida de um agente especial do FBI e da mente dos mais perturbados assassinos em série que ele perseguiu.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Devo estar no inferno.”

RESENHA<<<
Em Mindhunter seremos apresentados a John Douglas ele se especializou em desenvolver perfis de Seriais Killers - Assassinos em Série.

John não imaginou que sua vida tomaria esse rumo, porém quando jovem não sabia bem o que queria como a maioria nessa idade e ao seguir seu rumo na carreira militar formou-se em psicologia e foi contratado pelo FBI onde desenvolveu sua carreira tornando-se uma das mentes mais "interessantes" para o propósito ao qual foi contratado. Ele desenvolveu uma forma de traçar perfis com grande eficácia. Nada foi tão rápido, pois na época essas questões psicológicas não eram ainda consideradas "ciência exata" ou "de precisão" como preferirem chamar. 

Seu trabalho foi realmente construído a duras penas e pode-se dizer que John tornou-se conceituado e requisitado. Para aqueles que não perceberam se o nome do autor também é John Douglas, que com a ajuda de Mark Olshaker fez esse livro sair do rascunho e vir parar não apenas nas nossas mãos (leitores), mas também nas telas do Netflix.

A ciência desenvolvida por John é o que hoje já conhecemos de diversos filmes e seriados de tv onde o investigador forense psicólogo entra na mente do assassino, tentando pensar como ele, se sentir como ele, ser ele.. Para assim entender suas motivações e traçar um perfil de possibilidades e restringir a busca por um indivíduo que se encaixe nesse perfil.

Muitas das mentes mais doentias tendem a culpar a vítima pelo que ele está fazendo como forma de punir algo ou mesmo projeta um passado de sofrimento ou pensamentos deturpados para chegar ao ponto de se tornar um Assassino em Série.

Bom, esse tipo de raciocínio nas décadas de 70 e 80 não eram ainda nacionalizados como hoje, com isso, inúmeras vezes provar sua "teoria" não foi simples ou fácil sem levantar muitos questionamentos. Mas o que descobri é que John Douglas foi peça única e fundamental para o desenvolvimento do método mais usado e eficaz na busca dessas mentes doentias que estão por aí aterrorizando até os dias atuais.

Gostei da minha leitura e classifico o livro como uma espécie de biografia onde John Douglas fala sobre sua vida e rotina desde a juventude até onde construiu sua carreira tornando seu método aceito e importante, além de ser muito explicativo quanto ao método desenvolvido, explicando cada passo para pegar um serial killer.

Achei o livro bom. Mas esperava algo diferente. 
Mesmo assim a leitura foi bastante interessante. Agora vou assistir o seriado, para conferir o que fizeram da história de John Douglas nas telas e assim elucidar ainda mais a leitura que eu tive.

Share:

2 comentários

  1. Oi, Andy.
    Sempre fui uma estudiosa do tema dos serial killers e por isso, essa foi uma das minhas melhores leituras do ano. Não sou muito chegada em biografias, mas esse livro me surpreendeu do início ao fim.
    Acho que a diferença foi que, para mim, o livro tem um aspecto didático fantástico e consegui relacionar tudo o que li com outros materiais que estudei ao longo dos anos!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente imaginava que esta obra tivesse um outro enfoque, de forma alguma pensei que se trataria de bibliografia, que mostra a juventude deste agente, o motivo que o levou a seguir esta profissão, ou como conseguia pensar e entrar dentro dos pensamentos desses criminosos, achei que seria uma descrição de seus casos, contando passo a passo, como era formulado sua abordagem. Bom, estou me graduando em Psicologia, e sou apaixonada por esta área, e achei que esta seria uma ótima oportunidade para conhecer de fato a atuação da psicologia dentro da área criminológica.

    ResponderExcluir