BOOKS || Caraval (Stephanie Garber)

Autor: Stephanie Garber
Tradutor: Camila Fernandes
Editora: Novo Conceito
Série: Sim, livro 1 (série Caraval)
Temas: Jovem-Adulto, Sobrenatural, Mistério, Jogos
Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele.
Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível.
O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada
.>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Levou sete anos para aceitar a carta.”

RESENHA<<<
Mais uma série que começa aqui no blog. Caraval é uma história que mistura muitas ideias que já passaram por aqui. Mas tem seu Q de algo que fugiu do lugar-comum. É um jogo, tem personagens um tanto confusos e misteriosos e claro, aquele leve romance que faz o enredo girar.

O mundo criado pela autora, merece um destaque. Tem alguns deslizes em determinados pontos, coisas que não se encaixam, mas ele traz um mistério, tem algo que te prende, algo que te faz lembrar daqueles filmes de terror com passagens secretas e que nós ficamos perguntando – onde diabos isso pode estar escondido?! E é aí que está a graça da história. É um jogo, tem coisas misteriosas envolvidas, alguns personagens estarão jogando conosco, mas quem são eles? Porque jogam? Qual o verdadeiro objetivo?

Em relação ao enredo, fiquei com um pé atrás, pois muitas vezes ele não evoluiu além do romance melodramático da protagonista (Scarlet) e Julian. Teve momentos que queria mais explicações, mais detalhes. Uma evolução. E isso de fato demora muito a acontecer e em algumas situações não acontece – será que teremos mais detalhes no livro 2 (lembram que é uma série?). Muita coisa só teve explicação (bem mais ou menos) no fim do livro.

Falando de personagens, tive muitos problemas com a protagonista. Eita garotinha mala/deslumbrada/chatinha. Deslumbrada com tudo, em tudo acredita, não duvida de nada. Gostaria que as buscas tivessem acontecido com sua irmã, pois Donatella é alguém de fibra, que briga e teria dado mais firmeza na história. Há muitos momentos repetitivos e chatos, pois apenas a protagonista aparece e ela não se mostra muito além. Ela é fácil de ser manipulada e consequentemente, nós leitores sabemos o que ela irá fazer, já que sempre busca o confortável.

Mas temos Julian, um personagem interessante, meio vilão, meio bonzinho que busca ajudar a protagonista por interesses próprios, o pai das meninas é o grande vilão, mas tem muita participação no início da história, depois ele passa desapercebido durante muitas páginas. E claro, o misterioso Mestre do jogo. O qual espero que seja melhor descrito nos próximos livros.


Vejo a trilogia Caraval com grandes expectativas, mas ainda falta algo para ser ‘O’ livro. Teve um bom enredo, alguns personagens interessantes, mas excesso de protagonista chata e cansativa. A história fluiu de certa forma e alguns mistérios se mantiveram até as últimas páginas. Falta desenvolver mais alguns detalhes do próprio jogo e de outros personagens. Mas vale a leitura.

Share:

0 comentários