BOOKS || A Prisão do Rei (Victoria Aveyard)

Autor: Victoria Aveyard
Tradutor: Alessandra Esteche, Guilherme Miranda & Zé Olibon
iEditora: Seguinte
Série: Sim, livro 3 (série A Rainha Vermelha)
Temas: Jovem-Adulto, Relacionamentos, reinos
No terceiro volume da série que já vendeu mais de 250 mil exemplares no Brasil, tudo vai queimar. Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira.Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Levanto quando ele permite.”

RESENHA<<<
Eis que chegamos ao terceiro livro da série ‘A Rainha Vermelha’, para conhecer os venenos dos anteriores, clique:

Eu li este livro achando que ele seria o último, mas ao chegar ao final dele percebi que realmente não poderia ser o final e fui conferir no Goodreads que o livro 4 sairá em 2018, aliás, fico até na dúvida se não teremos um livro 5, porque a coisa desandou um pouco e acredito ser pouco apenas um livro para tantas explicações.

Essa é uma série intensa, com lutas, destinos modificados, informações que mudam constantemente e pessoas das mais variadas personalidades. Diria que é uma série mais realista, afinal, no mundo é assim, ninguém é 100% bom ou 100% mau, as pessoas se moldam a medida de fatos e dos interesses e neste livro a gente tem a possibilidade de compreender isso de uma forma muito melhor que os anteriores.

Neste livro; Mare, Cameron e Evangeline que narram seus pontos de vista. A Mare ainda detém grande parte da narrativa, mas foi interessante ver outros pontos de vista. Analisando pelo ponto de vista da Mare, percebi que a história desandou e muito, não entendi a real intenção da autora com tantas reviravoltas e informações que foram jogadas. Muitas mudanças que foram de encontro com o que já havia sido narrado antes. A sensação é que em algum momento a autora teve uma ideia e quis inserir dentro da história, mesmo que essa inserção não tenha sido fluída dentro da história ou faça sentido.

Já o ponto da Evangeline foi o mais interessante. Nunca a amei, mas ela foi real, sincera e se mostrou perdida com as novas informações (assim como eu), a personagem mostra todos os prós e contras e um pouco dela mesma. Seus desejos e anseios foram retratados, mesmo que em pensamentos e nunca em ações. Mas, sai com a sensação de que ela era a mais centrada no meio do caos.

Eu gosto de reviravoltas, mas não senti que aqui a coisa tenha sido bacana, muitas mudanças e mais personagens e informações que em muitos momentos do livro foram apenas para ‘encher linguiça’ e o casal Mare e Cal está chato até dizer chega. Eita menino perdido esse. Não sabe o que quer. Não duvidarei nada se a autora chegar e disser que é um robô/algo relacionado a inteligência artificial, neste livro ele entra mudo/sem vontade e sai do mesmo jeito. Chato. CHATO.

Sobre Maven, até entendo que a autora quis fazer uma pegada meio ‘rei louco’, mas também passou um pouco do ponto. Apesar de ver onde a autora quis chegar ou se apoiar para sustentar sua história, ela simplesmente não foi feliz e muitas coisas ficaram chatas, perdidas, um pouco fora da realidade e sem noção.

As duas últimas frases do livro são:
‘Em algum lugar distante, dentro de mim, um trovão ruge.
Vamos deixar que eles se matem.’

E ao terminar, fiquei com a mesma sensação, deixar a história para lá e que quero que todos morram. Talvez tenha sido um erro ler a história cheia de expectativa, já que os anteriores me agradaram tanto? Com certeza sim, vamos pensar se vou deixar a série morrer ou se continuo com ela quando 2018 chegar...

Share:

0 comentários