POISON BOOKS || O Jogo (Elle Kennedy)

Em 30 março 2017
Autor: Elle Kennedy
Tradutor: Juliana Romeiro
Editora: Rocco
Série: Sim, livro 3 (série Amores Improváveis)
Temas: New Adult, Romance, Relacionamentos
SINOPSE: Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Vamos conversar?.”

RESENHA<<<
Continuamos na série ‘Amores Improváveis’, então para conhecer os venenos dos anteriores, clique:

Esta é uma daquelas séries que não é série, ou seja, você não precisa ler os livros em ordem, mas será melhor caso você os leia. Mas, dá para ler e entender perfeitamente caso você goste da resenha (ou tenha esse) e não os anteriores. Afinal, a história é simples.

Eu diria que ‘O Jogo’ está bem mais parecido com ‘O Acordo’ do que com o anterior – O Erro. Mais leve, mais divertido, o casal tem mais química e o melhor, eles agem de forma mais adulta.

Um ponto forte é que nesta história, a menina gosta tanto de sexo quanto o cara, e a autora não colocou isso de uma forma vulgar, ela escreveu sobre uma pessoa normal que tem um parceiro divertido, meio doido e como todo relacionamento tem bons e maus momentos.

Mas, por ser New Adult, não podemos esquecer que alguém sempre tem algum tipo de trauma/problema e aqui não e diferente, o problema do nosso bad boy é clichê e um tanto quanto repetitivo. Fico me perguntando se escrever sobre pessoas mais normais soe chato na cabeça dos autores, sempre é preciso ter algum abuso/problema familiar e coisas bem repetitivas no campo New Adult, ou talvez seja hora de começar a explorar novos dramas.

Pela química do casal e uma certa ‘leveza’ na história, a leitura flui e um ritmo praticamente alucinado, você ri, se diverte, acha graça, acha que as coisas são doidas demais ou meio sem pé nem cabeça, mas quer continuar lendo para saber que bicho vai dar.

Para quem precisa de algo divertido, leve e precisa dar um up na vida, aconselho a ler a série, este mais do que os anteriores. O próximo será o último.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<