POISON BOOKS || O Feiticeiro de Terramar (Ursula K. Le Guin)

Em 07 fevereiro 2017
Autor: Ursula K. Le Guin
Tradutor: Ana Resende
Editora: Arqueiro
Série: Sim, livro 1 (Ciclo Terramar)
Temas: Jovem-Adulto, Sobrenatural, Fantasia, Feiticeiros
SINOPSE: Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.
Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.
Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“A ilha de Gont, uma montanha solitária cujo cume está 1,5 quilômetros acima do tempestuoso mar Nordeste, é uma região famosa por seus feiticeiros.”

RESENHA<<<
Infelizmente mais um livro que abandono sem saber como será seu fim. E dessa vez foi um livro de fantasia, um gênero que curto e bastante, mas infelizmente ‘O Feiticeiro de Terramar’ não foi para mim.

Eu começo com o primeiro ponto e um que acho bem importante – a escrita do autor. Acredito que este foi o grande motivo. Não consegui me adaptar, não fluía, não conseguia ler mais do que 4/ 5 páginas, sem me sentir agoniada e minha mente viajar em outra coisa que não fosse a história. Não me arrisco dizer que poderia ser algo relativo ao tempo, já que o livro é de 1968, mas acredito que o tradutor deve ter deixado a história com cara de hoje, mas pode ser um dos motivos.

O enredo também não me ajudou, as coisas eram arrastadas, um tanto repetitivas. Fui empurrando capítulos e capítulos com a barriga, apesar de uma boa ideia geral, na hora que a coisa foi para o papel, não me agradou ou me fez continuar.

Outra coisa que me surpreende ao abandonar este livro é que ele é bem pequeno, tem apenas 176 páginas – o que é super curto se tratando de fantasia, onde a maioria chega fácil as 300 páginas e eu fiquei na página 70, cheguei a quase 40% do livro e não senti empatia com o personagem ou a história e olha que li muitos elogios e boas resenhas do mesmo.

A questão que fica agora é: será que por ter sido escrito em 68, um livro simples, que promete demais e não cumpre, com uma ambientação e personagens simples demais para hoje, me fez desistir?! Pois devido a ter lido outras fantasias mais elaboradas e melhor ambientadas, acabei fazendo essa comparação – livro x livro e não datas e ele saiu perdendo? Ou após ler tantas boas resenhas, sua leitura não chegou nem perto e me fez ficar decepcionada?

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<