POISON BOOKS || Crave a Marca (Veronica Roth)

Autor: Veronica Roth
Tradutor: Petê Rissatti
Editora: Rocco
Série: Sim, livro 1 (série Crave a Marca)
Temas: Jovem-Adulto, Aventura, Ficção, Espaço
SINOPSE: Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“As flores-sossego sempre se abriam durante a noite mais longa.”

RESENHA<<<
Eis que chegou mais uma série aqui no blog – e quem não vive de ler séries, não é mesmo? A autora já passou por aqui em uma outra série ‘Divergente’, cujo final ainda não tive paciência para ler. Mas apesar desta nova pegada dela – espaço e outras ‘tribos’, algumas situações e sensações que tive na série Divergente continuam...

Eu gostei de ser algo meio espacial, falar de várias tribos e mundos e costumes diferentes, tem algumas coisinhas clichês, mas qual livro hoje em dia é totalmente inédito? Tem personagens interessantes, gostei de ver Cyra e Akos evoluindo e se tornando pessoas fortes e determinadas.

Mas a autora tem um sério problema – ENROLAÇÃO – e esta sensação já vinha da série anterior, achei que no livro dois ‘Insurgente’ tinha muita coisa já falada e isso acabou me canso na leitura e fez com que adiasse a leitura do último para Deus sabe quando e eis que aqui aconteceu a mesma coisa. Os primeiros 30% você lê na velocidade da luz, ela explica os planetas, a estrutura da galáxia e quem são os personagens. A história flui muito bem.

Porém, após esta apresentação e quando de fato a coisa vai começar a se desenrolar, já que aquilo teria sido apenas um aperitivo, a coisa cai e muito de qualidade, ela repete ideias e situações já ditas e a história para de avançar no bom ritmo que vinha. Não que ela fique ruim, mas são muitas páginas reexplicando as mesmas coisas ou adicionando coisas sem importância e a sensação é que a história simplesmente não está andando.

Isso dura uns 40%, ou seja, você passa uma parte considerável do livro achando que a história caiu de qualidade. Mas é preciso insistir para ver o ponto de reviravolta e ver as coisas começarem a se tornar mais interessante, para poder ver a evolução dos personagens, as novas estratégias e as informações importantes que não foram ditas antes. Não diria que a história volta ao ritmo intenso da primeira parte, mas fica bem melhor do que estava.

O final foi meio sem graça na minha opinião, esperava mais ação, drama, emoção. Ainda mais depois de tanta coisa vivida por Cyra e Akos em suas jornadas e as reviravoltas que tivemos nesses 30% finais. Tem gancho para o livro 2? Sim, mas nada que tenha me deixado morrendo para ler, tipo ‘preciso-agora-mesmo’.

Vamos torcer para que o próximo ela seja mais clean e objetiva e evite essas repetições/enrolações que aconteceram tanto aqui quanto na outra série.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários