POISON BOOKS || A Caçadora de Bruxos (Virginia Boecker)

Em 18 agosto 2016
Autor: Virginia Boecker
Tradutor: Alves Calado
Editora: Galera Record
Série: Sim, livro 1 (série A Caçadora de Bruxas)
Temas: Jovem-Adulto, Reinados, Bruxas, Magias
SINOPSE: No mesmo estilo de Guerra dos Tronos, “A Caçadora de Bruxos” reconstrói uma Inglaterra medieval mítica, com magia e muita intriga política
Na Ânglia do século XVI, a prática da magia é ilegal e infratores são queimados nas fogueiras. Elizabeth Grey é uma das melhores caçadoras de bruxos do rei: ela localiza e captura Reformistas, rebeldes suspeitos de praticar feitiçaria para que sejam julgados e executados, conforme manda a lei. Até que, inexplicavelmente, ela é incriminada e acaba presa sob a acusação de praticar a arte que se dedicou a erradicar. A salvação, no entanto, acaba vindo na forma de seu maior inimigo: Nicholas Perevil, o mago mais poderoso e procurado de Ânglia. À medida que Elizabeth se associa aos Reformistas, suas crenças sobre a legitimidade da proibição da magia são profundamente abaladas. Ela se vê em meio a uma contenda política de proporções épicas e percebe que seus antigos aliados agora são seus inimigos mortais. Será que Elizabeth está pronta para decidir de qual lado está sua lealdade, afinal de contas?


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
Estou na beira da praça apinhada de gente, observando os carrascos acendendo as fogueiras

RESENHA<<<
Andei em uma maré meia boca nas leituras nas últimas semanas, mas finalmente voltei com algo bom e intenso. Falo do primeiro livro da série ‘A Caçadora de Bruxos’, uma leitura que foi boa, com reviravoltas e acredito que ainda tem um pano na manga para contar em seus próximos volumes.

Entrei sem nenhuma expectativa, afinal quase todos as séries/livros que envolvem magia/bruxos tinham sido bem meia boca, com exceção de um ou outro. Mas o que mais me empolgou neste livro foi a fluidez da história, você simplesmente não consegue parar de ler, você quer saber mais e mais.

A trama que a autora criou fugiu de alguns clichês, vira e mexe temos uma reviravolta, algo que seria dado como certo e páh, vai lá e muda, as pessoas se transformam e algumas revelações vão sendo feitas aos poucos. Do tipo que eu curto. Quero ser ‘arrastada’ para dentro da história, odeio quando isso não acontece.

Temos bons personagens, bem escritos e com possibilidade de mais, o foco é todo em Elizabeth, uma menina que foi treinada para ser caçadora de bruxos e sempre acreditou que a magia é algo ruim. Apesar de termos muitas revelações sobre ela, ainda acho que tem um algo a mais que não foi contado.

Os outros personagens não fazem a linha fofinhos, odeiam, amam, desconfiam e tudo isso ao máximo, exatamente como deveria ser, suas cenas e diálogos são bons e acredito que nos próximos livros a autora possa usar alguns. Espero ver mais informações principalmente sobre John.

De um modo geral, os fãs de bruxos e magia, podem comemorar e investir. Tem uma ou outra coisa clichê, um ‘Q’ de bruxaria meio ao estilo século XV e sua caça às bruxas, mas isso não desfaz a boa história que nos foi apresentada.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<