POISON BOOKS || A Geografia de Nós Dois (Jennifer E. Smith)

Autor: Jennifer E. Smith
Tradutor: Glenda D’Oliveira
Editora: Galera Record
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, Comportamento, Relacionamento, Viagens
SINOPSE: Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“No primeiro dia de setembro, o mundo ficou escuro.”

RESENHA<<<
Desde que li o primeiro livro da autora lançado aqui no Brasil – A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista, sempre que sai um novo livro dela, fico imaginando que terei a mesma sensação fofa e maravilhosa que tive ao ler o livro já mencionado, mas as expectativas não andam se concretizando.

‘A Geografia de Nós Dois’ poderia ser mais bonitinho ou até mesmo daqueles que a gente faz *oinn*, mas ele não conseguiu arrancar nem uma coisa nem outra durante a minha leitura, o jeito fofo, amável e que nos faz acreditar no amor que encontrei em seu primeiro livro não tem se repetido nos outros e neste não foi diferente.

A narrativa é dura, inflexível, parecendo mais descrições de fatos – como uma receita de bolo seguida ao pé da letra, que algo para nos agradar e nos fazer desejar um belo romance. Essa estrutura rígida, deixou a narrativa sem graça e desprovida de emoção.

Apesar de o livro ser narrado ora pelo rapaz e ora pela moça, o que eu curto bastante, pois assim conseguimos saber mais de cada um dos personagens em questão; como eles se sentem, quem eles realmente são e como se sentem um em relação ao outro. A ideia que foi passada durante a leitura acabou sendo de uma carta onde se trocam poucas informações pessoais e quase achamos que eles são colegas de escritório, faltou a emoção.

São poucas páginas e um ritmo de leitura que não ajudou, nem mesmo a descrição dos personagens ou seus problemas, são muitas ideias clichês e já lemos em tantos livros diferentes e alguns simplesmente ficamos apaixonados, mas não foi o caso deste. Esperava muito mais.

Apesar de tantas coisas me falta na história – emoção, boa descrição de personagens e suas evoluções e drama, retiro como ponto positivo o pequeno relacionamento entre os personagens e seus pais. Não é maravilhoso nem nada assim, é real, é o que acontece muitas vezes, mas o toque foi o fato mais importante é a seguinte frase ‘você nunca vai saber o que te espera se não perguntar’. Algumas coisas mudam bastante após os personagens terem esse pensamento e acredito que podemos trazer para qualquer canto da nossa vida.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários