BOOKS || Arena 13 (Joseph Delany)

Autor: Joseph Delaney
Tradutor: Stephania Matousek
Editora: Bertrand Brasil
Série: Sim, livro 1 (série Arena 13)
Temas: Jovem-Adulto, Comportamento, Lutas 
Primeiro livro da nova trilogia do autor best-seller de As Aventuras do Caça-Feitiço.Leif tem uma única ambição: tornar-se o melhor lutador da famosa Arena 13. Lá, os espectadores apostam em qual lutador vai derramar sangue primeiro. E, em ajustes de contas, apostam em qual lutador vai morrer. Mas a região é aterrorizada por Hob, um ser maligno que se deleita torturando a população e exibe o seu poder devastador desafiando combatentes da Arena 13 a lutas até a morte quando bem entende. E isso é exatamente o que Leif quer, pois ele conhece bem os crimes de Hob. E, no cerne da sua ambição, arde o desejo de vingança. Leif procura revanche contra o monstro que destruiu a sua família. Mesmo que isso lhe custe a vida.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Hob está esperando a mulher na escuridão; esperando logo além do rio, debaixo das árvores, onde o pálido luar não consegue alcançá-lo.”

RESENHA<<<
Acho que 2016 não tem sido o meu ano, ou melhor, acho que 2016 tem sido o ano que muita coisa anda sendo publicada, alguma repetidas e talvez esteja cansada de ver mais do mesmo em minhas leituras. Eu prefiro pensar nesta segunda opção.

Quando vi ‘Arena 13’, imaginei uma coisa completamente diferente, algo meio a la ‘Jogos Vorazes’ com espadas ideias romanas, mas onde as pessoas iriam por vontade própria e uma pitadinha de sobrenatural para deixar tudo mais intenso. Mas simplesmente não rolou.

A leitura não conseguiu me agradar, até a página 100 foram descrições e mais descrições e uma mistura de primeira com terceira pessoa na narrativa que estava me deixando doida. A paixão e desejo pelas lutas quase não vinha do personagem principal, teve muito mimimi de garotinhos brigando e muito ciuminhos. Sério, li diversos livros enquanto lia este. A história não me convidava a voltar.

Da página 101 até a 200 tivemos menos descrições, um pouco mais de empolgação e confesso que muitas vezes fiz uma leitura ‘em passant’, não queria desistir do livro, mas do jeito que as coisas iam, estava vendo que poderia ser obrigada a abandonar. Tem um tempo que já desisti de ficar agarrada a leituras que não me agradam, só para dizer ‘eu terminei’.

A partir da 201, digamos assim foi quando a história ganha uma força e se torna mais interessante. Lembro que o livro possui apenas 307 páginas (de história, o restante é glossário) e se eu preciso ver uma história melhorar depois de quase 2/3 do livro, fica difícil.

Os personagens não me cativaram, suas histórias, desejos e anseios eram fracos e com poucos pontos de ligação ou de virada de atitude. Era um mais do mesmo sem fim, quase como saber que aquilo que estava sendo lido não mexeria comigo.

Li muitas resenhas positivas sobre a outra série do autor e por isso o interesse nessa nova série. Talvez tenha escolhido mal; a outra série é boa e essa simplesmente não seja. Se você acha que vai rolar algo como distopia ou essa mistura de lutas e ação, não espere logo no início da trama. Essa ação só acontece com vigor mesmo depois da metade do livro, antes tem muita enrolação.

Share:

0 comentários