POISON BOOKS || Qualquer Outro Lugar (A. G. Howard)

Em 16 junho 2016
Autor: A. G. Howard
Tradutor: Denise Tavares Gonçalves
Editora: Novo Conceito
Série: Sim, livro 3 (série O Lado Mais Sombrio)
Temas: Jovem-Adulto, Aventura, Magia, Contos
SINOPSE: Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo.
Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha.
Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração.
E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre .


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Eu achava que lembranças eram algo que seria melhor deixar para trás...”

RESENHA<<<
Antes de se aventurar no último da série, que tal conhecer os anteriores?

Nada como chegar a mais um final de série. É bom, é triste, é uma mistura de emoções. Mas é bom saber que aquele mundo que você pôde dar uma espiadinha está se fechando de forma linda (esperamos sempre que ele feche de forma linda, mas nem sempre acontece...).

Esta série foi uma paixão à primeira vista, fugiu um pouco do lugar-comum, tentou criar novas ideias, mas sem perder a ideia original – algo que foi baseado no País das Maravilhas. E nem falaremos das capas. Cada uma mais linda que a outra (agradeço por terem mantido a capa original *_*).

Geralmente nos últimos livros de qualquer série vem aquela enxurrada de respostas que estava em aberto nos 10463529564 livros que a série tem. Óbvio que o autor precisa dar respostas, mas quando é apenas isso é dose encarar. Aqui não, a autora ainda deu uma canjinha com algumas reviravoltas, soluções interessantes e um algo a mais.

Uma dica importante que quero dar para aquelas(es) que amam ler as páginas finais do livro é: NÃO.FAÇAM.ISSO!!!! O epílogo curtinho, apenas 3 folhas, mostra uma solução que foi definida depois de muitas guerras, lutas, amores impossíveis e tal, então caso leia, você pode passar um desespero desnecessário.

Ainda falando do final, apesar de gostar, diria que foi um daqueles finais fáceis. Onde agradamos todos ao mesmo tempo. Mas não sei se teria feito algo diferente, mas para quem já acompanha a série (e com certeza já fez sua aposta) terá a sua resposta no meio do livro. Espero que seja algo que vocês queriam também.

Em relação ao País das Maravilhas e as reviravoltas e suas lutas, a autora soube inovar, não é um livro parado ou chato, ela traz informações sobre o pai e a mãe da protagonista, que eu achei que sempre foram muito vagas no decorrer da história, ficando a impressão que a guria era filha de chocadeira já que o assunto sempre era ela e nunca tentou enxergar além daquele quadradinho.

Foi um final de série bacana. Com sua leitura ágil, intensa e sem cair nos clichês de final de série, a autora conseguiu fechar muito bem sua trilogia. Como disse lá no início da resenha, foi uma visita muito interessante a essa releitura de um clássico.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<