POISON BOOKS || Anna Vestida de Sangue (Kendare Blake)

Autor: Kendare Blake
Tradutor: Cecília Camargo Bartalotti
Editora: Galera Record
Série: Sim, livro 1 (série Anna)
Temas: Jovem-Adulto, Fantasmas, Suspense
SINOPSE: Cas Lowood herdou uma vocação incomum: ele caça e mata os mortos. Seu pai fazia o mesmo antes dele, até ser barbaramente assassinado por um dos fantasmas que perseguia. Agora, armado com o misterioso punhal de seu pai, Cas viaja pelo país com sua mãe bruxa e seu gato farejador de espíritos. Juntos eles vão atrás de lendas e folclores locais, tentando rastrear os sanguinários fantasmas e afastar distrações, como amigos e o futuro.
Quando eles chegam a uma nova cidade em busca do fantasma que os habitantes locais chamam de Anna Vestida de Sangue, Cas espera o de sempre: perseguir, caçar, matar. Mas o que ele encontra é uma garota envolta em maldições e fúria, um espírito fascinante, como ele nunca viu. Ela ainda usa o vestido com que estava no dia em que foi brutalmente assassinada, em 1958: branco, manchado de vermelho e pingando sangue. Desde então, Anna matou todas as pessoas que ousaram entrar na casa vitoriana que ela habita. Mas, por alguma razão, ela poupou a vida de Cas. 
Agora ele precisa desvendar diversos mistérios, entre eles: Por que Anna é tão diferente de todos os outros fantasmas que Cas já perseguiu? E o que o faz arriscar a própria vida para tentar falar com ela novamente?

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“O cabelo liso brilhantinado é uma pista fatal – com o perdão do trocadilho.”

RESENHA<<<
Mais um livrinho que falamos há eras (lá na coluna #Debutando – clique aqui para conferir a resenha) que finalmente chegou aqui no Brasil, por isso, se há outros livros que você se interessou e ficou com medo de nunca vê-lo, calma... Eles chegam, devagar e sempre.

Claro que li cheia de expectativa, e mesmo que a gente já tenha conversado sobre o assunto – nada de ler livros com altas expectativas porque no final a gente acha que vai ser tudão e acaba nem sendo assim. E foi exatamente o caso aqui.

O livro não é ruim, daqueles que a gente quer abandonar, mas por tudo que já havia sido comentado, sei lá, esperei mais, muito mais do que as poucas páginas me mostraram.

Se você acha que é terror, pode esquecer, esse assunto ou aquela sensação de ‘medinho’ passou longe, tem um leve toque de humor, algumas piadas/momentos que nos fazem sorrir, mas só.

Outro ponto bem fraquinho foi o desenvolvimento da história. As coisas acontecem na velocidade da luz, faltou trabalhar mais nos personagens, em seu desenvolvimento, no próprio contar a história. E olha que eu ADORO histórias rápidas/curtas, mas essa aqui ficou curta demais e muita coisa foi jogada.

Até mesmo o affair entre o protagonista e a mocinha fantasma, a coisa foi bem surreal, e ninguém se questionou isso? Tipo, em 90% do livro geral trata o fantasma como um ser vivo mesmo. Até então ninguém via o fantasma, e de repente todo mundo pode ver, conversar, armar planos. Tem muita coisa jogada. E olha que ainda vamos ter mais dois livros, fico perguntando o que mais poderemos esperar disso.

Mas teve um ponto muito bacana, quando a gente de fato descobre porquê e como a Anna morreu, porque a autora nos faz pensar algumas coisas e de repente ela explica bem detalhado e com bons argumentos a morte da menina, esta é a melhor parte do livro – bem escrita, bem trabalhada e flui de uma maneira que a gente fica chocado com os acontecimentos.

De modo geral, achei este livro bem mais do mesmo, não morri de amores por nenhum personagem e nem odiei ninguém, mas ficou com aquela sensação de que poderia ter muito mais. É daqueles livros que é ruim, mas você quer saber como as coisas vão terminar para dizer ‘eu sabia disso, era previsível’.

A nota real do livro fica entre o Suave e o Tóxico, mas não há notas quebradas no blog, então deixei como Tóxico mesmo.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários