POISON BOOKS || Rebelde (Amy Tintera)

Autor: Amy Tintera
Tradutor: Rodrigo Peixoto
Editora: Galera Record
Série: Sim, livro 2 (série Reboot)
Temas: Jovem-Adulto, Distopia,
SINOPSE: Wren Connoly acreditou que seu lado humano tivesse ficado para trás no instante em que ela morreu... e voltou à vida como Reboot em surpreendentes 178 minutos. Com uma força extrema e treinada para ser o soldado perfeito, Wren precisou fugir da CRAH, Corporação de Repovoamento e Avanço Humano, para salvar Callum 22, o rapaz que lhe mostrou ser possível ter emoções, compaixão e até amor, sendo Reboot.
Após terem escapado da CRAH, Wren e Callum estão prontos para recomeçar a vida em paz, na reserva Reboot. Mas Micah, o Reboot que comanda o local, tem planos malignos em mente: dizimar os humanos da Terra. Micah vem construindo um exército Reboot há anos, e finalmente está pronto para iniciar ataques às cidades. Agora que fugiram, Wren e Callum precisam decidir se ficam ao lado de Reboots ou se abandonam tudo e vivem longe da guerra. Aos poucos, os dois percebem que só há uma alternativa: precisam se tornar rebeldes.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Wren estava em silêncio.”

RESENHA<<<
O ano de 2016 começou com muitas continuações aqui no Poison, e agora estou esperando o final(?) de mais uma série que só chega em 2017 (creio eu) e para alegria de todos, o tema é distopia.

Para conhecer os venenos do anterior, clique:

Reboot foi um livro interessante, mais do que mostrar um futuro deprimente e um esquema bizarro, onde no futuro crianças/adolescentes seriam usados para matar quem estiver contra o Governo/Sociedade, ele mostra que mesmo em algumas situações a gente pode mudar. E não é ruim/errado pensar diferente ou tentar entender um novo argumento.

Seguindo o fio deixado no livro anterior, a sequência – Rebeldes – volta exatamente do ponto onde o livro parou e continua com tanta ação e reviravoltas como tivemos antes e isso foi um dos pontos fortes. É ruim gostar de uma série e na sua sequência ela cair de qualidade e você se sentir desmotivado.

178 ainda precisa aprender a ser alguém diferente, ela desde os 12 anos foi doutrinada pelo Governo/Sociedade para ser sua arma e vamos concordar que ninguém muda da noite para o dia, ver as mudanças da personagem, seus questionamentos, os momentos prós e contras foram interessantes e vi algo real. Não existe uma chave de liga/desliga e de repente tudo está OK. A autora retratou isso com ela e outros personagens, mas nela vemos mais forte, pois a personagem traz mais contradições que os outros.

O ritmo de leitura e a escrita continuaram boas, sem enrolação e de forma rápida e fluida, fazendo com que você sempre queira saber mais e mais e a cada virada de página ou termino de capitulo você fique com novas perguntas e pense em muitas teorias. A mistura de diálogos e capítulos curto sempre me ganha. Não me deixa cansada e fico ansiosa por mais.

A novidade deste livro é a inclusão de muitas reviravoltas, e logo que começamos o livro, surge um grupo de reboots que durante todo livro vamos amar e odiar, fora os humanos e pessoas indecisas. Os momentos de interação desses grupos são sempre clima de tensão. Prepare-se!

O final, claro, deixou algumas coisas em aberto. Este é o livro do meio, então um passo para revolução já foi dado (lembrando da regra da escrita da distopia), na eterna luta contra o sistema opressor. Agora como de fato a série irá terminar. Sinceramente, ainda não sei. Torço para que seja algo bacana e empolgante como li nos dois livros e não algo clichê.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários