POISON BOOKS || Imaculada (Kami Garcia)

Autor: Kemi Garcia
Tradutor: Joana Faro
Editora: Galera Record
Série: Sim, livro 2 (série A Legião)
Temas: Jovem-Adulto, Ficção, Sobrenatural
SINOPSE: Abandonada pela família que lhe restou e lutando para permanecer sã, Kennedy Waters se vê em um mundo onde espíritos vingativos matam, fantasmas guardam segredos e um demônio vive entre os humanos. Um demônio que está livre por sua culpa.
Andras, espírito que causa discórdia e morte por onde passa, ameaça abrir os portões do inferno e conquistar a Terra. Cabe a Kennedy e seus companheiros da Legião – Alara, Sacerdote, Lukas e Jared – caçarem e destruírem o demônio. Mas Kennedy ainda tem muitas questões sem resposta sobre seu passado. Um antigo membro da Legião e os temidos Illuminati surgem quando os primeiros sinais da influência de Andras no mundo começam a aparecer nos noticiários, e eles trazem novas armas contra o Marquês do inferno, mas também novos desafios para o grupo. 
Quando o que Kennedy mais temia acontece, ela tem de passar por cima de tudo e todos para proteger a si mesma, os amigos e, acima de tudo, seu amor. Os segredos que lhe esconderam a vida inteira vêm à tona, e ela está prestes a descobrir que há muito mais por trás do mistério que a faz permanecer imaculada.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Barras de ferr eram a única coisa que nos separava.”

RESENHA<<<
Chegou livro de continuação no blog...eba!
Confere os venenos do anterior:

Legião foi uma coisa meio doida no início, começou meio ao estilo supernatural e de repente a coisa foi parecendo uma viagem fantástica com adolescentes e buscas por demônios e coisas impossíveis. Junta aí os Iluminatis e a Igreja e já temos um caldo tenso.

O bom dessa série é que ela continuou leve e fluida, a Kami gosta de escrever assim, seus capítulos são curtos e objetivos, mas trazem o essencial para entender a história e dar um certo ‘medinho’ ao ler a noite, nunca sabemos quem eles vão encontrar – gente boa, ruim, demônios, zumbis, coisas que não existem, pistas – e isso nos deixa numa adrenalina boa.

Quando li a série 16 Luas, não conseguia ver essa separação. Porque escrever a quatro mãos é difícil. Mas acho que hoje vejo a ideia geral como sendo da Kami e a parte escrita da Margareth (posso estar errada, mas ao ler as obras das duas separadas, isso que me vem à mente).

Os personagens estão de volta e muitas coisas começaram a ser explicadas. Tive um certo receio antes, porque não via ligação em alguns momentos e achei que a autora comeria mosca. Obvio que tem muita coisa solta, mas algumas pontinhas começaram a se fechar. Nos próximos livros precisaremos de algo com mais embasamento. Mas é um bom começo.

O ponto fraco seria o mimimi da protagonista, esse eterno ai meu deus o que fiz, foi chato em alguns momentos, tipo, assumi a meleca que fez e bora fazer o certo. Esse vitimismo dela era muito chato em alguns momentos e deixou algumas cenas chatas. Ela precisa tomar atitudes para a próxima etapa.

De maneira geral, vale a leitura porque saiu do tema comum. Essa ideia de monstros e demônios não é algo recorrente e de certa forma há uma linha geral interessante e bem preenchida. Fico torcendo para que nos próximos livros, esses pontos mais fracos melhorem e a história continue seguindo o bom rumo.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários