BOOKS || Uma Chama Entre as Cinzas (Sabaa Tahir)

Autor: Sabaa Tahir
Tradutor: Jorge Ritter
Editora: Verus
Série: Sim, livro 1 (série Uma Chama Entre as Cinzas)
Temas: Jovem-Adulto, Reinos, Ficção
Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum dos dois é livre. No Império Marcial, a resposta para o desacato é a morte. Aqueles que não dão o próprio sangue pelo imperador arriscam perder as pessoas que amam e tudo que lhes é mais caro. É neste mundo brutal que Laia vive com os avós e o irmão mais velho. Eles não desafiam o Império, pois já viram o que acontece com quem se atreve a isso. Mas, quando o irmão de Laia é preso acusado de traição, ela é forçada a tomar uma atitude. Em troca da ajuda de rebeldes que prometem resgatar seu irmão, ela vai arriscar a própria vida para agir como espiã dentro da academia militar do Império. Ali, Laia conhece Elias, o melhor soldado da academia — e, secretamente, o mais relutante. O que Elias mais quer é se libertar da tirania que vem sendo treinado para aplicar. Logo ele e Laia percebem que a vida de ambos está interligada — e que suas escolhas podem mudar para sempre o destino do próprio Império.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Meu irmão mais velho chega em casa antes do amanhecer, quando ainda está escuro e até os fantasmas descansam.”

RESENHA<<<
Uma das coisas que está na minha lista de prioridades de 2016 é dar chance as coisas novas – novos autores, histórias e gêneros, mas também tentar pegar livros únicos. Esta segunda opção depende muito mais das editoras do que de mim, mas quanto variar os gêneros e gosto, vem na resenha de hoje. Uma autora iniciante.

Este livro faz parte de uma série e apesar de não ser nada extremamente original, afinal quanto livros já comentaram sobre pessoas ricas x pobres ou escravas que é exatamente o mote do texto? Em alguns momentos, o livro me lembrou a série ‘A Queda dos Reinos’, devido a sua luta pelo poder e questão de revolução/rebelião. Não diria que tem os mesmos moldes, mas algumas partes me fazem relembrar esta série.

O ponto mais fraco para mim foi a questão da enrolação. O desenvolvimento da história custou demais para engrenar. São muitas páginas explicando coisas que muitas vezes eram chatas ou poderiam ter sido mais dinâmicas se a autora tivesse agilizado algumas cenas e situações. Tem momentos que fiquei com a sensação de que tinha um excesso de informação e que nunca as mesmas seriam usadas. Talvez se fossem menos páginas e mais agilidade entre cenários e histórias a coisa teria funcionado muito mais.

No quesito personagens, ainda não sei como avalia-los ainda. A menina escrava tem horas que é sem complexibilidade, um daqueles personagens simples demais e sem graça. Como se fosse um robozinho, suas experiências e até mesmo a caracterização são fracas durante bastante tempo da história (quase metade do livro), mas aos poucos ela melhora, não que fique excelente, mas sai daquele início ‘pobre’ e começa a mostrar ao que veio.

Já o outro personagem, apesar de ser mais interessante, ou aparentemente melhor construído, tem momentos que passa pelos mesmos problemas da menina. E olha que eles são os personagens principais. Diria que ele teve mais tempo de ser trabalhado e estudado, percebemos que a bagagem dele é maior, mas demora para dar as caras também.

A narrativa é boa, mas não maravilhosa, as coisas demoram para acontecer e isso meio que desanima, principalmente porque a medida que o livro se aproxima do fim, percebemos que NADA será respondido, ou irá começar a ter respostas no livro de estreia, e me perguntei se no dois viria algo...tenho minhas dúvidas também.

Percebo que a história tem mais coisas para ser explorada, mas foi levemente mencionada. Isso me incomodou, as séries revelam pouco ou quase nada do que querem mostrar e tentam nos forçar a acompanhar suas sagas em 5/7/10 livros, porém seus mundos e personagens sofrem com boas caracterizações e de certa forma conflitos. Mas vamos ver os seguintes.

Próximos Livros:
Livro 2 - Uma Tocha na Escuridão

Share:

0 comentários