SERIES || The Shannara Chronicles

As vezes penso que o povo de Hollywood e os produtores de TV andam meio sem ideias já que precisam fazer tantas adaptações de livros em filmes e séries de TV, em alguns momentos cansa ver a mesma coisa mesmo que seja em diferentes plataformas, mesmo quando a série/filme é de um livro que amamos.

Um misto de mágica com tecnologia primitiva em um reino de fantasia. A história ocorre milhares de anos após a destruição da atual civilização, e é centrada na família Shannara, cujos descendentes possuem magia e protagonizam aventuras com o poder de remodelar o futuro do universo. (fonte: AdoroCinema)



Trailler da Série: 

Personagens Principais:
Austin Butler >>> Wil Ohmsford
Poppy Drayto >>> Amberle Elessedil
Ivana Baquero >>> Eretria
Manu Bennet >>> Allanon
Aaron Jukubenko >>> Ander Elessedil (tio de Amberle)
Jed Brophy >>> The Dagda Mor
Marcus Vanco >>> Bandon

RESENHA<<<
Mas, por outro lado, a gente ganha a oportunidade ver acompanhar algo de um livro que a gente talvez não tenha curtido muito a sinopse, ou não teve a oportunidade de ler, pois o livro não chegou por aqui. Então, para este ano de 2016, tentarei ver filmes e séries dos livros que não li, pelo menos para sacar o contexto geral da história.

A série deste mês e as dos próximos, eu irei falar sobre adaptações de livros. Algumas famosas já passaram por aqui e acredito que em breve chegam mais. Mas a deste mês tem a ver com magia, elfos, humanos, trolls e etc, quase um ‘Senhor dos Anéis’ numa versão jovem-adulto. Falo da série The Shannara Chronicles baseada nos livros de Terry Brooks cujo os livros saem aqui no Brasil pela Saída de Emergência/Arqueiro e já tem 2 livros publicados.

Não li o livro, por isso não farei comparações dos dois.
Eu gosto da vibe Idade Média/sobrenatural, o contexto geral da série é que tem uma pitada de distopia, teoricamente o mundo foi tão ‘aniquilado’ que voltou no tempo, falando de modernidades e outras coisas e hoje, além dos humanos, habitantes que antigamente eram lendas, existem entre nós. E grande parte da aventura se baseia em 3 personagens – uma elfa, um meio elfo e uma humana – eles precisam salvar uma árvore lendária que guarda demônios e nos dias de hoje está morrendo. Ou seja, se a árvore morrer, os demônios voltam. E a partir daí a aventura começa.

As imagens da série são ótimas, principalmente quando a gente vê resquícios das coisas do nosso dia a dia, como antenas de TV ou carcaça de coisas e cheia de detalhes dentro da cidade dos elfos. O efeito é maravilhoso e condiz com a ideia que a história quer passar, devido as lendas e profecias.

Há uma quantidade absurda de personagens, esses três citados são os mais importantes, mas tanta gente já passou e vai passar que até vale fazer anotações. Mas dos três, cito a humana como a mais legal até agora, ela é do estilo ‘atira primeiro, pergunta depois’ e deixa as cenas que ela aparece com mais ação e fluidez, porque tem uns momentos de divagação que são bem aleatórios. Já a elfa, que é uma princesa, até agora se mostrou chatinha, ela até passa uma ideia menos mocinha e mais guerreira, mas torço para que durante a jornada que se inicia ela mostre ao que veio.

E por último, temo o meio elfo que é uma pessoa importante, mas acho que é o mais perdido dos três, não é um bom lutador, é enganado facilmente e para quem sabe de algumas lendas ele parece que foi teletransportado para a história. Quando junta ele e a elfa, tem umas cenas que só Jesus na causa para dar um up.

De modo geral, curti a história, mesmo sabendo dessa ideia de jornada para se descobrir e de quebra salvar o mundo, a série me prendeu e vou dar uma chance para esta temporada. Tem os elementos que curto, mesmo que alguns momentos sejam meio repetitivos. Acredito que no decorrer da aventura, afinal só tem 3 episódios até agora, ou seja, tem muito pano para manga e o elenco encontrar o tom que faça a série ser um sucesso.

Share:

0 comentários