QUICKS || Fala Aí #3

Toda vez que tem niver do blog, eu sempre comento sobre o lado bom e ruim de ter um blog, já recebi alguns e-mails me perguntando sobre blogs e redes sociais e pedindo dicas sobre os mesmos. Mas quando vi a pergunta ‘o que te inspira a ser blogueira?’ em uma fanpage no facebook, percebi que nunca tinha comentado sobre isso no blog, nem mesmo no ‘BláBláBlá Literário’, então porque não comentar sobre as alegrias e momentos de tristezas?



  

Aliás, aproveito para dizer que todo mundo deve se lançar nas coisas que gostaria de fazer, mesmo que ache que não seja uma boa ideia. Ninguém nasce sabendo e sempre podemos aprender, algumas coisas irão surpreendemente bombar e outras nem tanto, mas isso não significa que você é melhor ou pior. Apesar de números fazerem grandes diferenças no meio de blogs (mas isso é assunto para outros posts), acredite no que você quer passar é o importante/legal/vale a pena e se jogue!.

O que me inspira a ser blogueira?

Ta aí uma pergunta que mesmo o blog tendo quase 6 anos de vida, ainda sim é difícil de responder. Mas, se fosse para responder de forma clichê ou com as respostas padrão, seria algo do tipo: ‘Eu quero levar impressões sobre livros de forma sincera e com opções para os meus leitores’. Porque antes de estar na frente de um blog, eu me considero uma leitora, uma fã de livros que busca pelas apostas mais legais do mercado e a opinião sincera sobre um livro conta e muito na hora da compra, afinal por mais que a gente tenha tempo para ler tudo, não temos dinheiro e se temos dinheiro para comprar tudo não temos tempo para ler...eita situação cruel.

Ter um blog é muito mais do que sentar atrás de um computador e digitar sem parar, falar dos prós e contra dos livros, aliás, confesso que comecei assim. Minha única ideia era; ‘serei sincera com os livros que vou ler, se curtir, direi abertamente e onde cada um me ganhou, mas caso seja uma meleca, farei a mesma coisa. Não que os leitores não devam comprar, mas que eles saibam em que canoa furada estão entrando.’

E assim foi, de repente, os números começaram a crescer, novas redes sociais, outros blogs se juntam, pessoas como eu que não eram profissionais começam a dar dicas e sugerir uma ou outra coisa, e aos poucos você aprende na marra nomes que eu nem nunca tinha ouvido, como; domínio, hospedagem, posts, blogger, wordpress. Hoje, alguém que começa um blog é praticamente julgado até a morte se não sabe pelo menos 40% antes de empreender neste mundo. Mas, aí está a palavra que realmente me inspira – EMPREENDER. Sim, ter um blog/ser blogueiro é empreender constantemente, descobrir coisas novas e ir sempre além do seu limite.

Já recebi e ainda recebo muito carinho no blog, pessoas que timidamente dizem que adorou um livro que indiquei, ou concordaram que algo era furada e se deram bem em não ler ou diminuir as expectativas. A gente sempre diz que palavras como ‘por favor, obrigada, de nada, não tem de quê’, abrem e fecham portas no mundo real, mas no mundo virtual, isso é substituído pelos comentários. É sempre uma alegria ver seu vídeo, post, imagem, ou sei lá, mais o que irão inventar ter comentários. Para mim é o meu ‘sorriso do dia’, mesmo quando vocês escrevem poucas palavras, este carinho, este incentivo não tem preço.

Via inbox e email já recebi muitas mensagens de gente que se inspira em mim para abrir seu blog ou algumas palavras que comentei durante meus vídeos, que as vezes nem tive intenção de fazer pensar ou querer mudar uma vida, mas acabei mudando sem querer e esse retorno, as perguntas sobre o blog, como melhorar, onde chegar ou dicas para seguir em frente são sempre motivo de inspiração e é onde eu também sempre me pergunto, o que fazer para ir além? Onde preciso buscar novas inspirações? Sério, saber que o blog inspirou alguém a começar a ler ou a ter o próprio blog é motivo de orgulho.

No fundo a gente fica se sentindo meio ‘professor’, sabendo que ajudou nos passos de algumas pessoas e quando elas voam alto e voltam agradecendo, aí mesmo que dá orgulho de ter se dedicado ao blog, tratado com carinho e nunca desistir. Porque sim, meus caros, o blog é um amante ciumento, onde seus dias, minutos e segundo serão tragados para ele. E não vou mentir dizendo que não dá vontade de desistir, dá e muita. Alguns obstáculos, situações e acontecimentos as vezes nos impede de continuar ou as vezes precisamos reconhecer quando é hora de parar ou mudar as estratégias.

Mais uma palavra para me inspirar – PERSEVERÂNÇA. As pessoas acreditam que tudo é simples, você tem uma ideia e pá-pum, seu blog será mega-ultra-super reconhecido da noite para o dia. Mas até quem é reconhecido hoje em dia, começou de baixo, começou pequeno e veio se esforçando. Claro que há métodos e métodos para fazer sucesso na internet. As coisas pagas e fáceis, costumam não durar muito e as complexas e lentas as vezes demoram para explodir, mas quando o fazem, é aquele sucesso. O caminho é esse, persistir no que se quer. Não ache que todas as portas estarão abertas, tem muitos ‘nãos’ antes dos ‘sims’.

A inspiração para me tornar blogueira veio de tantos lugares, canso de dizer nos vídeos de comemoração do blog que veio após ler um livro e descobrir que o mesmo era série e conhecer o mundo vasto da internet e seguir em livros que muitas vezes nem serão lançados aqui no país. Mas depois de algum tempo no ar, a pergunta seria: ‘O que te inspira a continuar a ser blogueira?’ como disse, tem muito não. A gente se cansa, nós mudamos, a ideia original muda, a vida simplesmente acontece.

O que hoje me motiva a continuar blogueira é a paixão que tenho pelo blog, o carinho e comentários que recebo das pessoas, é ser apresentada com alguém que adora ler e pode trocar ideias sobre livros, séries e afins e dar indicações. É manter os amigos que fiz e conhecer gente nova a cada dia. É falar de livros, mesmo quando eles são ruins (porque vamos concordar a medida que a gente começa a se desenvolver naquele conteúdo, a gente fica ‘chato’ e começa a exigir mais). E quase ouso dizer, não sei o que faria sem meu blog.

Claro que podemos citar mais mil coisas. Talvez muita gente espere que a inspiração para entrar em um ambiente onde não se sabe de nada, onde na grande maioria das vezes a gente nem seja formada nisso, afinal, no meu caso, eu sou arquiteta, mas dentro das redes sociais, dos vídeos e dos eventos, eu sou a Andy, aquela que solta o veneno nos livros, filmes e séries.


Para finalizar essa divagação, porque esse assunto rende uma vida e tal, digo que vale a pena se esforçar e continuar nas coisas que gosta, mas já saber que nada vem fácil, e nem falo isso para desmotivar ninguém, e sim, para saber que tem um longo caminho pela frente. Para aqueles que depois de lerem esse post acharem que precisam meter as caras, vocês têm meu apoio e minhas energias positivas que vão se destacar, e o que eu posso dizer é que ler é maravilhoso, receber aquele livro em primeira mão é muito empolgante, mas com certeza as pessoas que eu conheci e continuo conhecendo através do blog com certeza é a minha maior alegria ;)



  


Share:

0 comentários