POISON BOOKS - O Despertar do Príncipe (Colleen Houck)

Autor: Colleen Houck
Tradutor: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro
Série: Sim, livro 1 (série Deuses do Egito)
Temas: Jovem-Adulto, Magia, Mitologia, Aventura
SINOPSE: Quando a jovem de dezessete anos, Lilliana Young, entra no Museu Metropolitano de Arte certa manhã, durante as férias de primavera, a última coisa que esperava encontrar é um príncipe egípcio ao vivo com poderes divinos, que teria despertado após mil anos de mumificação.E ela realmente não poderia imaginar ser escolhida para ajudá-lo em uma jornada épica que irá levá-los por todo globo para encontrar seus irmãos e completar uma grande cerimônia que salvará a humanidade.Mas o destino tem tomado conta de Lily, e ela, juntamente com seu príncipe sol, Amon, deverá viajar para o Vale dos Reis, despertar seus irmãos e impedir um mal em forma de um deus chamado Seth, de dominar o mundo.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Na grandiosa cidade de Itjtawy, o ar denso e pesado refletia a disposição dos homens presentes no templo, sobretudo a expressão do rei e o terrível fardo que lhe oprimia o coração.”

RESENHA<<<
Série nova no blog! #TodosComemora ou #AiMeuDeusQuandoIssoVaiAcabar ? Ainda não sei dizer, a única certeza é que a capa do livro 2 foi revelada durante a Bienal do Rio pela autora. Mas tem mitologia egípcia dessa vez e os livros saíram da faixa infanto-juvenil.

Adoro mitologia, inclusive já li uns livros meia boca só porque tinha mitologia envolvida, mas a autora em questão (não tinha lido sua série anterior, apesar de muitos leitores já terem me recomendado), conquistou minha atenção ao misturar o presente com um passado longínquo, lá do Antigo Egito e fazer com que a nossa nova protagonista largasse tudo e partisse numa grande e insana aventura. Quem nunca quis isso?

Começando pela mitologia, curti o fato dela ter escolhido coisas diferentes, geralmente as pessoas optam pelos deuses que todos conhecem e curtem, ela trouxe a ideia geral do Antigo Egito, mas deu seu próprio toque na história, então tem aquela mistura de coisas reais; como os rituais, os vasos, os templos e os personagens da profecia/passado.

Vindo com os personagens, tenho que dar destaque para a menina. Sou da teoria que as meninas (e os meninos) podem fazer o que quiserem, mas ninguém merece personagem mala/chato, pior ainda quando ele é o protagonista. Graças a Deus que a menina começou a mostrar que ela era de Nova Iorque, mas não era mané. Kkkkk

A aventura, dramas e reviravoltas foram boas e dentro da medida, a gente torce para dar certo, para certos personagens, para saber mais, para terminar, para não terminar. Enfim, a gente fica vidrado nas páginas. A leitura é envolvente, bem como a narrativa. Ela é rápida, intensa e de certa forma objetiva. Não vou dizer que não há momentos enrolation, mas é muito menos do que em outros livros.

Meu único mimimi fica com o final, sei lá, esperava algo com mais glamour. Sabia que era série antes de começar, mas quando cheguei ao final não estava morrendo desesperadamente pelo próximo. Claro que quero ler, mas faltou uma coisa mais intensa. Então, espero que a autora capriche na continuação.

Este post faz parte da #SemanaArqueiro2015

Continuações:
2 - O Coração da Esfinge

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários