POISON BOOKS - Caçadora de Tempestades (Jennifer Bosworth)

Em 28 setembro 2015
Autor: Jennifer Bosworth
Tradutor: Mariana Kohnert
Editora: Agir Now
Série: Sim, livro 1 (série Caçadora de Tempestade)
Temas: Jovem-Adulto, Distopia, Sobrenatural, Outros
SINOPSE: Mia Pierce é viciada em raios. Já sobreviveu a inúmeros choques, mas seu desejo de receber a energia liberada durante tempestades coloca em risco sua vida e a de todos ao seu redor. Los Angeles, onde raramente há tempestades, é um dos poucos lugares em que Mia se sente segura. Mas quando um terremoto destrói a cidade, seu porto-seguro é transformado em um campo minado de caos e perigos. Neste cenário aterrador, dois grupos antagônicos se formam, e ambos vêem Mia como a chave para as profecias de uma tempestade ainda maior que está por vir. Mia quer confiar no enigmático Jeremy, que prometeu protegê-la, mas teme que ele não seja quem diz ser. No fim, o poder e a paixão que os aproximou pode ser o que vai colocar tudo a perder. Agora Mia precisa aprender a utilizar seus poderes, ou então pode acabar perdendo tudo o que ama.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Depois de ser atingida por raios tantas vezes quanto eu fui, a pessoa passa quase o tempo todo esperando o pior.”

RESENHA<<<
O título me ganhou, a sinopse também. Às vezes a gente fica atrás de coisas novas e diferentes, afinal, no meio de tantos ‘mais do mesmo’, algo que saia um cadinho só da curva já merece e chama atenção.

Mas o enredo foi confuso, a história tinha muitas brechas e parecia uma salada, mas o pior é saber que isto tudo é uma série e não satisfeitos em sermos torturados em um primeiro livro, teremos mais. Não sei quantos serão, mas arrisco pelo menos 2 antes de fechar a saga.

A sensação que o livro me passou durante toda a leitura era que tínhamos um picadinho cheio de coisas que não se encaixavam, a autora fez um check list de coisas que ela queria colocar em sua história e aos poucos ia acrescentando isso no enredo, porém, como na cozinha, que certos temperos não combinam, aqui a coisa cresceu meio frankstein, um monstro sem pé nem cabeça e nos levando a loucura em seus capítulos.

A ideia é meio distopia, nada de sociedade opressora ou coisas assim, é só o caos mesmo. Um grande terremoto aconteceu e deixou as cidades meio que no caos, pandemias e outras coisas. E no meio disso, nossa protagonista tem uma certa tendência a se sentir apaixonada pelos raios. Apesar deles queimarem e tal, ela é atraída por eles e isso a deixa em maus lençóis.

Os personagens não me inspiraram simpatia ou engajamento em suas histórias, a leitura parecia a de um livro técnico, ela é cansativa, para não dizer repetitiva, são páginas e páginas das mesmas situações, as coisas demoram tanto para acontecer. E quando elas acontecem, não há novidade, porque só tinha aquele caminho mesmo.

A história ainda tenta caminhar por uma pegada de fanatismo religioso, afinal, em locais com caos, isso é sempre uma das primeiras coisas que surgem, e até poderia ter acrescentado uma pitada interessante à mistura, mas faltou saber a hora certa de colocar o tempero e realmente desandou.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<