POISON BOOKS - Gelo Negro (Becca Fitzpatrick)

Em 05 junho 2015
Autor:  Becca Fitzpatrick
Tradutor: Viviane Diniz
Editora: Intrínseca
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, Suspense, Drama
SINOPSE - Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton, um lugar cheio de mistérios. Antes mesmo de chegar à cabana nas montanhas, ela e a melhor amiga, Korbie, enfrentam uma nevasca avassaladora e são obrigadas a abandonar o carro e procurar ajuda. As duas acabam sendo acolhidas por dois homens atraentes e imaginam que estão em segurança.
Os homens, porém, são criminosos foragidos e as fazem reféns. Para sobreviver, Britt precisará enfrentar o frio e a neve para guiar os sequestradores para fora das montanhas. Durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, um homem se mostra mais um aliado do que um inimigo, e Britt acaba se deixando envolver. Será que ela pode confiar nele? Sua vida dependerá dessa resposta.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“A picape Chevrolet enferrujada deu um tranco e parou subitamente, e Lauren Huntsman acordou quando bateu com a cabeça na janela.”

RESENHA<<<
Apesar de não ter curtido o final da série ‘Sussurro’, gostei bastante do jeito que a Becca escreve e quis conferir essa nova história, até porque ela realmente foi ousada mudou drasticamente de meio, sai sobrenatural e entra um leve suspense em cena.

Vou dar pontos pela ousadia, fazer suspense é difícil, não importa a faixa etária, aliás, quanto mais velho nós somos, mais chato ficamos, porém, acredito que essa história precisa de mais tempo para amadurecer, ou pessoas dizendo onde ela poderia mudar algumas coisas, ainda tinha muita cara de ‘sobrenatural jovem-adulto’.

Começo pelos personagens, eram poucos e alguns bem sem noção, sabe daqueles que a gente se pergunta o que está fazendo ali? Claro sintoma de série, onde podemos criar novos personagens e matar alguns pois a história é tão grande e tem tantas histórias paralelas que os leitores nem irão dar falta. Mas é um suspense e como tal, a quantidade de personagem é bem menor e eles precisam ser mais trabalhados. Gostei de mocinha, apesar de algumas vezes ela ser meio louca e o ‘animigo’, que para mim foi um dos melhores personagens; misterioso, sem saber em que time jogava e totalmente contraditório.

Aos outros personagens faltaram mais elaborações. Senti as informações meio jogadas, como se em algum canto tivesse um roteiro – preciso de X personagens, preciso de um amigo, uma história Y – e as coisas foram se moldando em cima disso. Tinha momentos que eu me perguntei, cadê mais informações? Você tem poucas pessoas, pode-se dar ao luxo de trabalhar nelas.

A mesma coisa acontece com a história. Ela não é ruim, tem um certo fundo de verdade, não vi a história como mentira ou algo que nunca poderia acontecer, mas a síndrome das séries atacou mais uma vez e fez do ‘enrolation’ uma presença constante, aqui temos um livro único, não precisa encher linguiça para dar o ‘gran finale’ no próximo livro.

A romatização talvez tenha sido um dos maiores pecados na história, a coisa segue um leve suspense, a gente entra no clima perseguição e de repente surge um amor que foi forçado demais. Sabe aquela coisa NADA.A.VER? E depois o clima se perde e a gente passa a não ler a parada tão a sério assim.

No geral, a ideia da história é boa, mas ela precisava de mais tempo e ser mais trabalhada. Acho que para uma mudança de ar tão grande quanto essa, precisa de mais gente em cima aparando as pontas, para quem nunca leu ou lê pouco suspense, é uma boa dica, mas para os leitores mais assíduos do gênero não sei se vale.

Para o blog, o livro ficaria entre o Suave e o Tóxico, mas como não há notas quebradas por aqui, a classificação foi Tóxica.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<