POISON BOOKS - True (Erin McCarthy)

Em 06 março 2015
Autor:  Erin McCarthy
Tradutor: Cláudia Mello Belhassof
Editora: Verus
Série: Sim, livro 1 (série True)
Temas: New Adult, Romance, Comportamento, Faculdade
SINOPSE - True - Quando as colegas de quarto de Rory descobrem que a tímida e estudiosa garota nunca passou uma noite com um homem, decidem que vão ajudá-la a perder a virgindade contratando o confiante e tatuado Tyler para fazer o serviço, porém sem o conhecimento dela. Tyler sabe que não é bom o bastante para Rory. Ela é brilhante, enquanto ele está lutando para se formar na faculdade e conseguir um emprego, para, então, poder tirar seus irmãos mais novos da mãe drogada. Mas ele acaba aceitando a proposta, pelo menos como uma oportunidade de conhecer Rory melhor. Há algo nela que o intriga e o faz querer ficar por perto — mesmo sabendo que não deveria.
Divididos entre o bom senso e o desejo, os dois se veem envolvidos em uma relação apaixonada. Mas, quando a família desajustada de Tyler ameaça destruir seu futuro — assim como o dela —, Rory precisa decidir se vai cortar os laços com o perigoso mundo do namorado ou se vai seguir seu coração, não importa o preço a pagar.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Ficar bêbada não estava nos meus planos para a noite de sexta.”

RESENHA<<<
Os fãs dos NA (New Adults) podem pirar, é o tipo de livro que geral vai falar super hiper bem, e por favor entendam, ele não é ruim, mas é cheio de clichês e coisas que já vimos em mil outros lugares, criatividade e ousadia aqui passaram longe.

A comparação com ‘Easy’ é inevitável, mas enquanto lá a autora trouxe uma ideia mais profunda a ser discutida, aqui ficamos no lugar-comum, falando sobre virgindade, sexo na faculdade, bad boys e como se tornar uma pessoa melhor para quem a gente ama (ou que mudou nossa vida). O livro não evoluiu como deveria, ficou muito no 'mais do mesmo'.

Os personagens não me cativaram, se fossem pessoas, seriam aquelas que eu ia falar ‘oi’, circular por uma festa e se depois um amigo me falasse deles, iria perguntar ‘quem?’ – ênfase naquela cara que a gente faz quando não se lembra e quase não faz questão de lembrar das pessoas. Não marcaram, não construíram nada, nada saiu do planejado que tenha me deixado apaixonada.

O mesmo vale para a narrativa da autora, é simples, um pouco crua, mas fácil de ler. Me senti lendo um Jovem-Adulto, onde a autora falou de sexo mais abertamente. É daquelas leituras que você começa e termina porque flui, não relaciono fluidez da leitura com ótimos textos, mas dificilmente as pessoas irão abandoná-lo.

O enredo da história talvez seja o que mais tenha pecado e contribuído para que o livro fosse morno. Na leitura do livro não me senti de volta a faculdade e aos bons tempos que tive por lá, onde conheci pessoas bacanas, fiquei com raiva e abracei uma profissão, foi mecânico, fora do contexto, muito focado em um romance que muitas vezes parecia forçado.

O livro faz parte do famoso – série que não é série – já que o próximo livro irá retratar uma das amigas da protagonista e os próximos seguem a mesma linha. Serão 4 livros no total, e acredito que os próximos podem mostrar um pouco mais de drama/ação, já que as próximas meninas são mais ‘ousadas’ e parecem ter mais histórias/ações para contar.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<