POISON BOOKS - EndGame (James Frey & Nils Johnson-Shelton)

Autor:  James Frey & Nils Johnson-Shelton
Tradutor: Dênia Sad
Editora: Intrínseca
Série: Sim, livro 1 (série Endgame)
Temas: Jovem-Adulto, Ficção, Aliens, Jogos, História
SINOPSE - A história começa há doze mil anos, quando seres poderosos desceram do céu entre fumaça e fogo e criaram a humanidade, deixando-nos regras segundo as quais viver. Precisavam de ouro, e, para extraí-lo, instalaram aqui as doze linhagens que deram origem às nossas antigas civilizações. Quando conseguiram o que queriam, foram embora. Mas avisaram que um dia retornariam e que, quando isso acontecesse, seria para o Jogo. O Jogo que determinaria nosso futuro. Os Jogadores terão que achar três chaves, que estão espalhadas pelo planeta. Quem achá-las primeiro ganha. "Endgame: O Chamado" acompanha a busca dos doze Jogadores pela primeira chave. O livro contém um enigma. Um enigma que convida o leitor a jogar seu próprio Endgame. Quem encontrar a solução primeiro ganhará uma mala cheia de ouro. Em adição ao enigma estará disponível um jogo on-line revolucionário desenvolvido pela Niantic Labs, empresa associada ao Google e responsável também pelo jogo Ingress.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“O Endgame começou.”

RESENHA<<<
Junte ‘39 Pistas’ com um pouco de ‘Carmen Sandiego’, uma pitada de ‘Jogos Vorazes’ e teorias loucas da conspiração, aliens, volta ao mundo, gente surtada e voilà... temos EndGame. Por isso, se você não for fã de nada disso acima, ou achar que coisa de teorias da conspiração e uma dose alta de adrenalina não são a sua praia, não sei se você vai curtir o livro.

Esperava uma coisa, mas o que li me deixou presa na história, apesar de alguns fatos serem muito loucos, dentro do contexto da história achei aceitável. Careceu um pouco de mais aprofundamento em algumas questões, mas acho que faz parte do próprio ‘Endgame’, já que nem seus participantes sabem direito do que se trata.

São muitos personagens. 12 para ser exata. Se dividirmos o livro em 5 partes, diria que pelo menos durante as primeiras duas partes a gente fica sabendo de tudo sobre todo mundo, quem é quem, de onde vem e como eles se prepararam para o jogo que iria mudar as suas vidas. Muitos não acreditavam que isso de fato iria acontecer e percebemos essa transformação ao longo do jogo. Essa reviravolta de alguns participantes, suas mudanças e alianças. Logo no início do livro tem o nome de quem está ‘escalado’ e de qual civilização o mesmo é. Deixa essa página marcada, várias vezes tive de recorrer à ela para identificar os personagens.

A leitura é muito dinâmica, talvez isso tenha contribuído para chegar ao final rápido (li em apenas 1 dia), pois quando eu chegava ao fim de um capítulo, tinha uma dica ou pista para algo novo que ia começar e eu queria saber o que era ou se algo ia mudar.

Ahhh também tem muita coisa mentirada, essa galera é quase uma mistura de agente da KGB com a CIA e ninjas, porque tem algumas situações que estavam mais para missão impossível, mas relevei. Era uma aventura, ação, mas os autores poderiam de minimizado um pouco certas coisas.

Se você for do tipo que se apega aos personagens, toma muito cuidado, muita gente não sobrevive ao final do livro (ok, eu me agarrei a um deles e não curti o final, fiquei meio P porque assim, não tinha porque sair do livro, acho que ele seria um curinga na manga e se for devido à um outro acontecimento, vou sair odiando alguém).

O enredo, apesar de louco, é diferente, geralmente esse tipo de coisa é muito vista na distopia, pessoas buscando algo impossível, revelações bombásticas, e ter feito isso no nosso presente, mesmo que represente em alguns momentos pés no futuro e um pouco de aventura, foi algo novo de ler. Tinha tempo que nada desse tipo surgia.

Mas acho que o melhor do livro são as reviravoltas, não apenas dos personagens, mas da própria estrutura do jogo. Afinal, a regra é que não tem regras, por isso, ao longo do livro muitas informações surgem e a toda hora modificam a história. Em outros livros poderia dizer que é algo clichê, mas aqui se faz necessário. Afinal cada um tem uma informação diferente a respeito do Endgame e como os capítulos são intercalados, a gente começa a perceber que o que um acha que é o prêmio, pode não ser exatamente daquele jeito e vice-versa.

Não sei quantos livros teremos pela frente. Visto que o livro é ENORME e mostrou pouca coisa, arrisco a dizer que serão pelo menos mais 4. A vantagem é que tem muita história para ser contada, então acho que os autores têm boas coisas para explorar e nós não iremos nos sentir enrolados.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

Share:

0 comentários