POISON BOOKS - Voos e Sinos e Misterioso Destinos (Emma Trevayne)

Autor:  Emma Trevayne
Tradutor: Álvaro Hattnher
Editora: Seguinte
Série: Não
Temas: Infanto-Juvenil, Steampunk, Aventura, Outro Mundo
SINOPSE - Nesta fábula moderna, com gosto das aventuras clássicas que encantam os jovens leitores há tantos anos, conhecemos a história de Jack Foster, um garoto de dez anos que, como qualquer um da sua idade, sonhava viver grandes aventuras. Ele morava em Londres mas estudava em um colégio interno, voltando para casa apenas nas férias, quando ficava completamente entediado. Mas, um certo dia, Jack atravessa uma porta mágica e, do outro lado, encontra uma cidade ao mesmo tempo muito parecida e muito diferente daquela que conhecia. Em Londinium, apesar de reconhecer as ruas e prédios, ele encontra um cenário steampunk, com engrenagens e fuligem por todos os lados. Por ali era raro encontrar alguém que não tivesse nenhuma parte do corpo feita de metal. E era justamente isso que a Senhora - uma mulher rígida e temperamental que governava a cidade desde sempre - buscava: um filho de carne e osso. Jack logo descobre que aquele lugar era extremamente perigoso, e que voltar para casa não seria tão fácil quanto tinha sido chegar até ali...


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Existem portas e existem PORTAS.”

RESENHA<<<
Poucas vezes leio livros que não me despertam nenhum sentimento, e confesso que é muito estranho falar de um livro que li apenas por ler. Não posso dizer que odiei ou que achei maravilhoso. Ao longo das páginas vi a história, ali bonitinha, mas não me empolgou. Mas também não odiei.

O livro tem uma sinopse interessante, uma aventura em uma Londres paralela onde temos conceitos steampunk, apesar da história bem simples, ela acabou não me motivando. Apesar de ler sobre os cenários – as vezes maravilhosamente bem descritos, seus personagens ou seu enredo não me despertaram nada além de ‘vou continuar’.

Posso dizer que a narrativa poderia ser mais, tinha alguns momentos enfadonhos, principalmente levando em conta que o livro é para o público infantil. Não sei se eles terão a mesma paciência que tive de seguir a trilha. Capítulos longos demais e algumas vezes uma enrolação desnecessária contribuíram para essa desmotivação.

Apesar de tudo, até curti os personagens, são simples, mas me atraíram em diversos momentos, queria saber mais da sua vida/história. Principalmente dessa Londres steampunk e como isso seria possível, mas não foram tão bem trabalhados quanto precisavam, faltou uma lapidação nas histórias e descrições.

O enredo apesar de legal, não despertou aquela sensação de ‘uau, preciso ler agora’. A leitura flui devagar e sempre, mas por insistência minha de terminar, do que por realmente querer terminar. Senti falta de aventura, de entusiasmo, de uma melhor explicação para o que está sendo contado. A sensação é que tudo ficou na superfície e nunca aprofundava.

Ao longo da leitura percebi que o autor fez o dever de casa, apesar de alguns itens que poderiam melhorar, a história estava ali contada, mas faltou um tempero, um gás, para que a gente se empolgue e curta a história, afinal é uma aventura. E sempre digo que se o autor não fizer você embarcar junto com o personagem, dificilmente terá uma reação positiva e isso foi o que acabou acontecendo.

Para que curte steampunk, irei indicar, mas deixo as ressalvas. Esperava mais da história/enredo, por isso, caso vocês não se apaixonem logo de cara, tente dar mais uma chance. Pode ser que você se encante com algo que comigo não funcionou.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<

Share:

0 comentários