BOOKS || Ligeiramente Casados (Mary Balagh)

Autor:  Mary Balagh
Tradutor: Ana Rodrigues
Editora: Arqueiro
Série: Sim, livro 1 (série Os Bedwyn)
Temas: Adulto, Romance de Época

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“A cena era familiar até demais para o homem que a observava.”

RESENHA<<<
Ainda não sei como classificar os ‘romances de época’ na minha lista de leituras. Apesar de ter um toque clichê, pois as histórias são relativamente semelhantes, os curto porque são leve e a leitura flui de forma rápida e fácil. Por isso, indico para as fãs do gênero (que eu sei que tem um monte) e para aqueles que querem algo leve, ou tentar algo novo.

Minha referência para comparação foi a série ‘Os Hathaways’, e confesso que apesar de história ser levemente repetida, curti mais a série anterior e isso foi devido à escrita da autora. Consegui me identificar mais, curto o jeito dela de escrever e desenvolver a história.

Já aqui, a história se perdeu um pouco. E isso acabou não me deixando tão ansiosa para acompanhar as reviravoltas e indagações dos protagonistas. A elaboração da mesma e as descrições de época foram sutis demais, tinha momentos que me esquecia que tudo ocorria no passado, não me senti transportada como geralmente acontece com qualquer leitura histórica.

Geralmente esse tipo de gênero sempre tem muito personagens e a grande maioria é irmão de alguém, primo ou algum tipo de parente e aqui não é exceção, porém, a série se chama ‘Os Bedwyns’, a família do título aparece muito pouco e eles são tão interessantes e intensos. Outras pessoas ganharam muito mais atenção do que o protagonista.

E esse foi um dos motivos de não entender porque o próximo livro da série irá tratar justamente do irmão que praticamente não apareceu na história, ele apenas foi mencionado. Achei que seria mais interessante destacar alguém que a gente já sabe um pouco e ver sua história evoluindo.

A narrativa foi simples, não tão empolgante quanto imaginei, mas é uma leitura relativamente rápida, os capítulos são curtos, a história é apresentada aos poucos e algumas ‘charadas’ matamos logo de cara.

Talvez não tenha me empolgado muito devido aos próprios protagonistas serem meio ‘blergh’, mas os irmãos, pelo pouco apresentado, me pareceram mais intensos e vibrantes, por isso, torço para que os próximos livros sejam mais empolgantes e intensos.

Share:

0 comentários