POISON BOOKS - Onde Deixarei Meu Coração (Sarra Manning)


Autor: Sarra Manning
Tradutor: Fabiana Colasanti
Editora: Galera Record
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, Romance, Comportamento, Viagens
SINOPSE - Simples, careta e sem graça. É assim que Bea se vê. Então quando a super descolada Ruby e seu bando de populares passam a se interessar por sua opinião, isso só pode ser uma pegadinha. Certo? Pelo menos é assim que sempre acontece nos filmes... Mas o convite para passarem as férias em Málaga parece pra valer. E com um bônus: Bea pode se afastar da mãe irritante e controladora. No entanto, depois de apenas 48 horas na Espanha, Bea se flagra mudando o itinerário. A menina decide visitar Paris para encontrar o pai que nunca conheceu. Afinal, a cidade luz pode emprestar um pouco de clareza a um período nebuloso de sua vida familiar. No caminho, ela conhece Toph, um estudante americano mochilando pela Europa. Enquanto procuram pelo pai dela nos cafés e boulevards de Paris, ela perde a cabeça em vez disso. Será que Bea é a garota de Toph ou a boa menina que sua mãe espera que ela seja? Ou será esse o verão mágico em que Bea finalmente torna-se dona do próprio nariz?


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Eu fiquei totalmente louca.”

RESENHA<<<
Às vezes a gente quer livro alucinante e às vezes a gente quer algo que flua e seja singelo e ‘Onde Deixarei Meu Coração’ é exatamente a segunda opção, não que isso signifique que ele é ruim, ele é bonitinho, doce, nos faz pensar em algumas coisas, passamos bons momentos com ele. Não seremos arrebatados, mas será uma leitura agradável.

Comecei odiando a protagonista. Eita menina que não fazia nada para se defender, era tipo aquela pessoa capacho? Que se batem do lado direito do rosto, a pessoa mostra o esquerdo para bater? Ela é assim durante o primeiro terço do livro e ficava muito irritada. Longe de mim dizer que tudo precisa ser uma anarquia, mas gente, ninguém é tão passivo assim!!! E o pior de tudo é que não tinha um motivo realmente forte, ela apenas era...

Mas depois que a ficha cai, a personagem começa a se revelar e a crescer. E essa virada é bacana, sair atoa pelo mundo não necessariamente pode ser a melhor ideia, mas a sequencia de coisas que a fazem fazer isso foram a sacudida que ela precisava para reagir e tudo se encaixou e foi intrigante.

É um livro que fala principalmente de adolescência, desse período intenso e louco, cheio de expectativas e desejos e o quanto sem querer os pais podem prejudicar ou ajudar os filhos nesse processo (e a família toda também, porque às vezes os pais são oks, mas os primos, tios, avós não ajudam).

O romance é tão lindinho... meio utópico em alguns momentos, mas deixarei isso de lado, porque ele acontece em Paris e ele aconteceu aos poucos, então foi fofo e leve e divertido. Bem coisa de primeiro amor mesmo. Aquela leveza que apenas o primeiro amor nos dá. E o casal era bacana, bem como as pessoas que ela conheceu nesse momento doido.

A leitura flui bem rápido, ela é ágil, levemente divertida e depois que a parte da protagonista sendo ‘saco de pancada’ passa, você evolui melhor. Como tive esse ‘desentendimento’ no início, a leitura travou um pouco porque estava bem irritada, mas depois foi. É aquela leitura da tarde chuvosa e quando você termina fica aquele sorriso bobo no rosto.



Esse post faz parte da #SemanaGaleraRecord

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<

Share:

0 comentários