POISON BOOKS - O Poder (L. J. Smith)

Em 13 outubro 2014

Autor: L. J. Smith
Tradutor: Ryta Vinagre
Editora: Galera Record
Série: Sim, livro 3 (série Círculo Secreto)
Temas: Jovem-Adulto, Bruxaria, Magia,
SINOPSE - Black John está mais perto do que nunca. Depois de ter sua energia libertada do crânio de cristal e de retornar do mundo dos mortos, tudo que mais deseja é reunir o coven de bruxos e bruxas que há muitas décadas lhe foi prometido. Para isso, tomou a forma humana e prepara-se para lutar e vencer. Seja matando as pessoas ou subjugando os mais fracos graças ao seu poder psíquico. Para impedi-lo, o círculo precisa encontrar uma fonte de poder tão grandiosa quanto a de seu inimigo. Talvez a própria Cassie seja a solução.



>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“– Diana, eu tenho uma surpresinha para você – disse Faye.”

RESENHA<<<
Finalizando mais uma série no blog, bora acompanhar os momentos finais de ‘Círculo Secreto’?

Antes de tudo a gente precisa se lembrar de que o livro foi escrito lá para bandas dos anos 90, então já começa que as coisas são muito, muito diferentes de hoje em dia e pode parecer bobeira falar isso, mas tantas coisas que hoje são comuns nas séries de livros ainda não existiam na época e uma delas é o celular, além do comportamento dos personagens.

Aqui a gente começa com a situação sendo toda jogada no ventilador, as coisas boas e ruins – traições, maquinações e o quem fica com quem. Afinal em um grupo tão grande de adolescentes (13), isso não é algo impossível e logico que rende bastante pano para manga.

Já o caso com o Crânio e Black John estão no seu auge e todos precisam tomar decisões, e algumas delas tem a ver com revisitar o que aconteceu na cidade há 16 anos. São poucos momentos de ação/aventura, o livro ficou focado muito em sentimentos e como podemos ser melhores amigos, do que na história em si. Isso deu um pouquinho de raiva, porque apesar da explicação simples, ela era logica e fazia sentido dentro do contexto já apresentado, mas foi pouco explorado. Vemos momentos aqui e acolá do assunto, mas talvez apenas 1 ou 2 capítulos de fato se dedicaram a isso.

Quanto aos protagonistas, por serem 13 (que é um numero muito grande) acaba que sempre são os mesmos que são comentados – Faye, Diana, Adam, Cassie e Nick – em alguns momentos até pensei se não foi um erro ter tanta gente de uma única vez e falar sempre dos mesmos, até entendo a força do numero 13 dentro do tema de Bruxas, mas não adianta usar o numero e não explorar tudo.

Os cinco personagens mais citados estão 85% do tempo do livro mais interessados no disse-me-disse, nas amizades e romances do que na história em si. Teve muito momento ‘paz e amor’ e ‘vamos ser BFF’. Não que a autora não pudesse ter mostrado isso, mas sei lá, ficou demais.

O final foi simples e todos tiveram seu ‘e viveram felizes para sempre’. Analisando os três livros, o final se encaixou. Sei que estou lendo algo que foi escrito há quase 30 anos e comparo com que leio hoje em dia, mas esperava mais, esperava um final ou capítulos finais mais intensos e isso não aconteceu por aqui.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<