POISON BOOKS - Garoto Encontra Garoto (David Levithan)

Em 20 outubro 2014

Autor: David Levithan
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Galera Record
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, LGBT, Relacionamentos, Comportamento
SINOPSE Nesta mais que uma comédia romântica, Paul estuda em uma escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile é uma quarterback drag-queen, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola... E, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah!


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“São nove da noite de um sábado de novembro.”

RESENHA<<<
Não sabia o que esperar antes de ler o livro, mas depois que li só digo que me diverti horrores e fico pensando porque as pessoas parecem tão incomodadas com o que as outras pessoas são? Se você não curte, aceita ou é fã de uma determinada coisa, porque parece que você só presta atenção ou fica implicando com que curte ou gosta ou é fã? Deixa para lá e vá viver a sua vida e se divertir, afinal o mundo é grande demais para ficar de mimimi.

A cidade do protagonista seria o modelo ideal e o mundo dos sonhos das pessoas. Paul mora numa cidade que todos podem ser como quiserem e ninguém liga para isso, ele é gay e sua família lida bem com isso, assim como os colegas de escola. Aliás, essa seria uma escola dos sonhos, porque os dramas são tão hilários que sempre torcia por mais dramas na história, adorava ver cada momento ser elevada a uma coisa surreal e divertida.

Na outra ponta da história temos Tony, ele mora em outra cidade e apesar de ser gay está no armário porque além de ter uma família que acha que ele vai para o Inferno se disser isso, onde ele mora não é exatamente como na cidade de Paul, é como nós conhecemos, é o nosso mundo. E essa diferença de ver a vida entre os dois é algo muito bacana na história.

A história fala de amor, não importa se você gosta de meninos ou meninas, se for adolescente sabe que no meio de tudo esse sentimento tem aquelas mil sensações – não sou bom o suficiente pra ele(a), meus pais não me entendem, meus amigos não me entendem, eu sou um ninguém, quero ser mais do que isso, vou conquistar o mundo e por aí vai. Toda essa gama de sentimentos está na história, são ótimos altos e baixos, momentos verdadeiros e não importa como você foi criado, todo mundo passa por isso, alguns com mais bagagens que outros, mas eles ficam lá guardados e intensos.

O autor foi muito feliz nesse livro, a história te prende, é intensa, divertida, tem alguns momentos para pensarmos, tem aquele momento revelação e reviravolta e sem personagens clichês, ou aqueles que se fazem de coitados. É um livro com um bom ritmo de leitura e você deseja sempre mais, praticamente você quer terminar no mesmo dia.

Gostei da mistura entre esse ‘mundo ideal’ que deveria ser assim sempre com a realidade e o sentimento de todos os personagens envolvidos, falando deles, posso dizer que são tão intensos quanto os protagonistas, e meu destaque vai para Infinte Darlene que é o quarterback principal e a rainha do baile. Os momentos que ela aparece na história são os melhores e mais divertidos, essa maquinação foi digna de mestre.

Eu gostei do que li e recomendo a leitura, para aqueles que já leram alguma coisa do autor e curtiram, é garantia que vão se divertir nesse e para quem nunca leu nada dele, vou recomendar esse muito mais do que os outros.

Vocês sabiam que esse livro foi publicado em 2003?



Esse post faz parte da #SemanaGaleraRecord

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<