POISON BOOKS - Encontrada (Carina Rissi)

Em 31 outubro 2014

Autor: Carina Rissi
Tradutor: --
Editora: Verus
Série: Sim, livro 1 (série Perdida)
Temas: Adulto, Viagem no Tempo, Lit. Nacional, Romance
SINOPSE - Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra. Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva. Decidida, Sofia fará o que estiver ao seu alcance para ajudar o homem que ama. Ela não está disposta a permitir que nada nem ninguém atrapalhe seu futuro. Porém suas ações podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir seu felizes para sempre é ela própria.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Fiquei um pouco agitada observando Isaac acomodar as grandes caixas sobre a carruagem.”

RESENHA<<<
Continuação de Perdida, já conferiu os venenos do livro anterior?

Tem livros que a gente até deseja que os autores escrevam uma vida inteira de livros sobre determinado personagem, mas a gente sabe que quando uma história começa a ser esticada demais, tende a cair e acaba se perdendo, fazendo com que uma ótima história caia para posições baixíssimas.

Estava com medo de ler essa continuação. Apesar de saber que tinha algum pano na manga para contar, meu medo era que a autora começasse a se desviar e encher linguiça na série. Mas para nossa alegria isso não aconteceu. Ela manteve a narrativa e a história centrada e com muitas coisas doidas em relação à Sofia e a Ian. Foi bom ver esses personagens queridos sendo bem retratados.

O foco da história é saber o que aconteceu com a volta de Sofia ao século dezenove e se ela realmente terá o seu ‘felizes para sempre’. Mas antes de chegar ao altar muita coisa pode rolar, afinal estamos falando de Sofia, da questão de tempo e de muitas trapalhadas e coisas loucas que só alguém que está dividida entre dois tempos bem diferente pode aprontar.

O clima leve da história e a narrativa ágil continua aqui, por isso apesar das quase 500 páginas a gente nem sente o livro passar. Tiveram alguns momentos que me lembrei um pouco desses romances de época, não digo isso como algo ruim, mas sabemos que sempre tem um bafafá na história e algumas trapalhadas. Lembrando que estamos no século XIX, isso faz sentido, foi divertido ler algumas passagens engraçadas, rir das atitudes de Sofia. Das vezes que ela troca os pés pelas mãos e a gente chora de tanto rir. Bem como alguns momentos mais tensos. O clima do livro é leve, mas as vezes temos essas trocas.

A história começou de onde a anterior terminou, acho que a autora poderia ter ampliado mais alguns detalhes, realmente temos muitas páginas focando sempre no mesmo assunto ou a demora para resolver alguns detalhes demoram muito e pode dar um certo cansaço, mas nada que atrapalhe a leitura, mas ela poderia ser ainda mais interessante se tivesse sido focada de outras formas ou dado importância aos outros assuntos.

Temos novos personagens nessa continuação, claro, a tia maluca que quer acabar com tudo foi uma das minhas favoritas, porque qualquer história sem uma boa intriga não é história. Mas senti falta de ler mais momentos de Sofia e Ian como a gente teve no primeiro livro. Os dois estavam ali na história, mas não foi aquela conexão de antes, senti muita falta disso. Tinha alguns momentos que era tipo ‘dia da noiva’, sabe quando o casal fica o dia todo longe um do outro e só vão se ver no altar? Teve muito disso. Aí confesso que senti falta do que li no primeiro, aqueles suspiros pelo casal e o protagonista. Aqui não tive nada disso... uma pena =/

A autora fechou a série de forma bacana. Não sei se ela vai continuar a escrever mais sobre o casal, teria livro para escrever depois? Sim, se os personagens não morrerem podemos escrever mil livros sobre, mas aí voltaria ao primeiro parágrafo, e a história com certeza começaria a ser esticada e rolar ‘encher de linguiça’.  Então melhor terminar de forma bacana do que aquele sentimento que foi demais.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<