POISON BOOKS - Túneis de Morte (Niel Bushnell)

Em 07 agosto 2014

Autor: Niel Bushnell
Tradutor: Denise de C. Rocha Delela
Editora: Jangada
Série: Sim, livro 1 (série Necrovias)
Temas: Infantojuvenil, Aventura, Magia, Guerras
SINOPSE: Quando Jack Morrow descobre que não é um menino comum, ele é arrastado quase imediatamente numa aventura surpreendente, muito além de qualquer coisa que um dia tenha imaginado. Isso porque Jack é um Viajante, alguém com a capacidade de viajar através das Necrovias, túneis que ligam cada lápide ao dia em que a pessoa morreu. Ao se ver na Londres devastada pela Segunda Guerra Mundial, na companhia de David, seu avô, na época ainda adolescente, Jack percebe que sua chegada a 1940 não passou despercebida. Forças malignas de um mundo secreto são convocadas a encontrá- lo. Enquanto Jack luta para sobreviver nessa aventura cheia de perigos e surpresas, ele acaba por desvendar o segredo sombrio da sua família, e se empenha, numa corrida contra o tempo, para tentar mudar o seu destino...


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Rouland limpou a lâmina sangrenta da espada nas pesadas cortinas da Câmara do Parlamento.”

RESENHA<<<
Apesar de viagens no tempo serem temas batidos, o autor fez uma sacada inteligente ao fazer os personagens viajarem no tempo através de lápides e misturar o nosso mundo com um mundo oculto no meio da Segunda Guerra Mundial, faz com que o primeiro livro da série Necrovias saísse do lugar-comum e que os leitores precisam dar uma chance.

Apesar da narrativa não ser um forte na trama, não que a mesma seja arrastada, ela apenas não flui como deveria, o jeito de escrever do autor é meio truncado e isso faz com que a gente fique um pouco reticente com a história e não leia na velocidade da luz, mas insistam, porque o contexto e a ideia da história são boas.

Vale ficar de olho bem aberto enquanto se acompanha a história, afinal viagens no tempo podem ser tudo, menos algo fácil de entender, ideias como ‘tempo em camadas’ ao invés de linha linear, ‘não mexer no passado’ e muitas reviravoltas vão estar presentes, afinal muita coisa pode mudar ao longo de anos, bem como as escolhas, por isso algumas surpresas e reviravoltas foram chocantes.

O personagem principal começa apagado, mas aos poucos ganha confiança e entende o que está em jogo. E os que cruzam seu caminho são tão interessantes quanto a busca que ele desempenha. Senti um Q meio de ‘Harry Potter’ com seus bichos esquisitos, meios de transportes alternativos e esse ‘mundo mágico’ que de repente o protagonista faz parte. Evito sempre fazer comparações, mas aqui falo de uma forma positiva, o autor buscou coisas que raramente os autores utilizam em suas fórmulas, como a questão das lápides, os bichos-papões e cavaleiros mortos-vivos.

Apesar do forte não ser a narrativa, a história é complexa e bem estruturada, na medida certa, não há muito espaço para enrolações e disse me disse que sempre é comum também, o autor para mim inovou ao fazer o tipo de livro que queria ler, algo com uma boa história, que fugisse um pouco das fórmulas já pré-estabelecidas e que nos envolva em certo suspense até o fim. Se a narrativa fosse mais apaixonante, seria melhor ainda.

Não temos um gancho significativo para o próximo livro, mas como acontece em tantas séries, mas o protagonista escolhe partir devido à tudo que acontece na história. Não sei o que esperar do próximo livro, mas estarei no aguardo!

LIVRO 2 - O Artífice do Tempo

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<