POISON BOOKS - A Filha da Ilusão (Teri Brown)

Em 27 agosto 2014

Autor: Teri Brown
Tradutor: Heloísa Leal
Editora: Valentina
Série: Sim, livro 1 (série Herdeiros da Magia)
Temas: Jovem-Adulto, Fantasia Urbana, Magia, Sobrenatural, História
SINOPSE - Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920. Como filha ilegítima de Harry Houdini - ou pelo menos, é o que Marguerite alega - os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truqye mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro.
Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar?
Teri Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York de Era do Jazz - e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Sinto um arrepio na nuca antes mesmo de vê-lo dobrando a esquina.”

RESENHA<<<
Magia, anos 20, ilusionismo, um ‘mágico’ famoso, lei seca, melindrosas...ahhhh os anos 20. Adoro quando os autores investem nesse mundo e se você for como eu e quiser conhecer essa Nova Iorque, vem com tudo na série ‘Herdeiros da Magia’, porque o começo pode ser lento, mas a história te conquista.

A história foi ambientada no mesmo esquema do livro ‘Os Videntes’, mas enquanto lá rola um lance mais ligado a buscas e ajuda da policia, aqui a gente vive o mundo de Anna, uma menina que vive com a mãe, pode ser filha de Houdini, tem poderes paranormais (ou assim ela acha e quer esconder) e vive nos anos 20, se mudando para lá e para cá para evitar confrontos.

Os personagens são interessantes, são bem trabalhados e ambientados, eles tem seus próprios mistérios e evoluem ou não na história e nos cativam. Anna e Cole são muito amorzinhos e sempre que eles estão juntos em cena algo estranho/bizarro/nonsense irá acontecer e a forma que a autora fazia esses ganchos foi muito bacana.

Talvez um dos momentos que me irritaram, foi a relação da Anna com a mãe, tinha uns momentos muitos chatos e cheios de mimimi, até entendo que ela tinha um relacionamento difícil com a mãe e a gente entende o motivo ao longo as páginas, mas em algumas cenas era cansativo essa briguinha e desnecessária.

o enredo foi bem bacana, bem trabalhado e nos deixa cercado de mistérios e sem saber o que de fato pode ser verdade ou é um truque, uma ilusão, afinal a vida da protagonista é ligada ao ilusionismo, os shows e como são os truques, não sei se vocês já assistiram aos filmes de mágica onde as pessoas explicam isso, mas é sempre tenso, mesmo quando a gente sabe os detalhes.

O toque do enredo são esses poderes paranormais, no primeiro livro a gente tem uma ‘entrada’ do que a autora vai tratar nas sequencias (que eu já fui ler a sinopse do próximo e promete), aqui a gente vê a protagonista tentando entender quem ela é e o que pode ter acontecido para que tenha esses dons e como e quando controlar se isso for verdade.

Sem entrar muito nos detalhes e não dar spoilers (que é feio, minha gente), temos bastante ação, aventura, um leve romance, intrigas, trapaças e uma ideia bacana misturada no meio disso. Um tempero que estava faltando, mesmo adorando essa vibe mais sobrenatural, às vezes as coisas são dadas para os leitores e isso é péssimo, a autora soube colocar as coisas nos eixos e nos deixar querendo mais...

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<