POISON BOOKS - A Dança do Viúvo (Rick Riordan)


Autor: Rick Riordan
Tradutor: Marilene Tombini
Editora: Record
Série: Sim, livro 2 (série Tres Navarre)
Temas: Adulto, Romance, Suspense, Policial
SINOPSE - A cantora Miranda Daniels está fazendo um sucesso literalmente de matar nas casas de show do Texas. Seu produtor e uma das integrantes de sua banda foram assassinados, e seu agente está desaparecido. Para piorar, sua fita demo, que deveria ser enviada a uma grande gravadora para o fechamento de um contrato milionário, também sumiu. Agora, cabe ao detetive particular apreciador de tequila e mestre de tai chi chuan Tres Navarre desvendar esse mistério e proteger Miranda das armadilhas da indústria musical, antes que haja novas vítimas.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“– Será que você pode pedir para o seu garoto ficar quieto?”

RESENHA<<<
Voltamos à série de Tres Navarre, a série adulto/policial do autor Rick Riordan. Para conhecer o anterior, clique:

Gosto do jeito que o autor narra, meus xodós são seus livros juvenis, mas quando li o anterior, curti esse clima deserto, anos 90 e um personagem tão imperfeito que ele não poderia existir na vida real, a chegada do segundo livro foi uma surpresa, já que o anterior foi publicado há mais de 2 anos e achei que a série não viria mais.

Mas enquanto o anterior me fez ler as páginas correndo, aqui, me deixou bem desanimada, foi cansativo, um tanto chato e às vezes bem irritante. Não sei se foi o caso em questão (apesar de ser uma série, cada livro narra um caso do personagem em desvendar algo, então não precisa ler na ordem) que foi bem chato e demorou para as coisas acontecerem ou nesse livro o autor tenha errado a mão, mas foram muitos fatores para quase ter desistido de ‘A Dança do Viúvo’.

Tres é um personagem engraçado, meio louco e na maioria das vezes tem alguns problemas, isso sempre garante o lado cômico do livro, afinal temos um leve suspense, mas aqui, ele estava chato e sem brilho, repetitivo em suas ações e bem previsível, até seus affairs foram sem graça, não me passou nenhuma emoção.

Já os outros personagens, pareciam pequenos borrões, chatos, querendo manter um segredo bem pequeno, mas transformando aquilo em algo grande, aí quando você descobre, meio que se ilude, achando que era muito mais do que está sendo dito. Na verdade, nenhum deles teve brilho para segurar a história, já que o personagem principal não se saiu tão bem assim.

O caso em questão até que era legal, tinha muita coisa para ser trabalhada, mas senti que se perdeu no meio do caminho querendo colocar elementos demais, aí a gente lê, lê, lê e nunca chega à lugar nenhum e só descobrimos o motivo (mega fraquinho por sinal), no 3/4  últimos capítulos e quando as peças se encaixam você pensa ‘foi isso?’ e fica mais desanimado ainda ao chegar no fim do livro.

Talvez o ponto legal foi rever as coisas dos anos 90, toca fitas, nada de iphone ou produtos Apple, na verdade nem celular tinha, algumas canções da época e como as coisas eram mais complicadas de se conseguir, afinal a internet ainda não bombava, mas lembrar que essa série o autor escreveu antes de ‘Percy Jackson’ e o público é adulto. A série possui uns 7 livros.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<

Share:

0 comentários