POISON BOOKS - Os Três (Sarah Lotz)

Em 02 julho 2014

Autor: Sarah Lotz
Tradutor: Carlos Duarte e Anna Duarte
Editora: Sextante
Série: Sim, livro 1 (série Os Três)
Temas: Adulto, Suspense, Investigação, Acidentes, Outros
SINOPSE: Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Pam olha a luz indicadora do cinto de segurança, desejando que ela se apague.”

RESENHA<<<
“Três pessoas são capazes de guardar um segredo, se duas delas estiveram mortas.” 
Benjamim Franklin

Teve muito fuzuê sobre esse livro e sinceramente não vi o motivo de tudo isso. Editar um livro onde o mesmo é baseado em relatos e conversar de pessoas próximas a uma grande tragédia, não fez disso um livro para mim, foi apenas uma forma de criar uma Teoria da Conspiração. Talvez a ideia da autora fosse mostrar todos os lados, as pessoas que se sentiram revoltadas porque alguém sobreviveu a um grande acidente, fanáticos religiosos (para bem ou mal) e gente que se solidarizou, mas o fato que essa forma de narrar não me agradou muito.

Não fiquei impactada com o fato de no livro, a autora quis dar a importância para que as três ou quatro crianças que teriam sobrevivido aos acidentes pudesse ser o sinal dos quatro Cavaleiros do Apocalipse, em alguns momentos até vi isso, mas acho que esse aprofundamento foi perdido. Na verdade, eu fiquei lendo relatos de pessoas que não diziam nada com coisa nenhuma. Foi um livro enfadonho, ele não saiu do lugar e não evoluiu.

Não me identifiquei com nenhum personagem, nem odiei também.  Me senti numa delegacia lendo relatos e relatos e colocando-os de uma forma que narrasse uma história de vários pontos de vista, acho que já fizeram um filme assim não? Talvez se fosse algo televisível poderia surtir um efeito maior.

Não vi o livro como Terror ou qualquer coisa do gênero que dê medo. Muitas vezes voltava à sinopse enquanto lia o livro e pensava, onde errei ao escolher o livro pela sinopse? Ela promete o mundo e não cumpriu o que prometeu, a execução foi toda errada. Me lembrei de ‘Noturno’, ele tem essa vibe de aviões e algo ruim prestes a acontecer, mas ali o fio condutor se manteve, aqui ele foi perdido.

A narrativa através de relatos, mensagens (Skype, e-mails), gravações e outras coisas do tipo, na verdade é um livro dentro de um livro, já que é uma autora que juntou esses relatos e espera ser o próximo best-seller. Isso é algo que pode levantar ou jogar uma boa ideia no lixo, e aqui sinto que foi mal aproveitada. Talvez levante um pouquinho a bola do final do livro. Não que tenha sido um excelente final, mas realmente foi um momento que senti que a história rumou para algum canto.

Senti falta de realmente falar sobre as crianças, já que a partir de um determinado ponto do livro elas são muito comentadas, mas nada aprofundado se comenta sobre elas, só umas coisas meio lunáticas, acho que o maior problema foi esse, o título é ‘os três’ e deles pouca coisa é comentada.

Outra coisa que não vi necessidade – ter continuação... sim, será uma série, trilogia =/

Para finalizar e explicar o motivo da frase lá em cima, é que os relatos só foram possíveis porque as pessoas próximas de uma forma ou de outra (seja devido ao dinheiro ou porque queriam mostrar a verdade e não o que a mídia dizia sobre o caso) contaram os relatos sobre alguns personagens que aparecem na história. Talvez se a gente levar por esse lado, a história nos faça pensar em ética e segredos e como as pessoas ficam fanáticas ou interesseiras, mas como história de quatro de quedas de avião e como três crianças sobrevivem ao impossível, isso ficou e muito a desejar.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<