POISON BOOKS - O Último Passageiro (Manel Loureiro)

Em 09 junho 2014

Autor: Manel Loureiro
Tradutor: Sandra Martha Dolinsky
Editora: Planeta
Série: Não
Temas: Adulto, Suspense, Terror, Mistérios
SINOPSE: Agosto de 1939. Um enorme transatlântico chamado Valkirie aparece vazio e à deriva no Oceano Atlântico. Um velho navio cargueiro o encontra e decide rebocá-lo até o porto, mas não sem antes descobrir que nele há um bebê de poucos meses... e algo mais que ninguém é capaz de identificar. Por volta de setenta anos depois, um estranho homem de negócios decide restaurar o misterioso transatlântico e repetir, passo a passo, a última viagem do Valkirie. A bordo, presa em uma realidade angustiante, a jornalista Kate Kilroy busca uma boa história para contar. Mas acabará descobrindo que somente sua inteligência e sua capacidade de amar podem evitar que o transatlântico pague novamente um preço sinistro durante o percurso. Inquietante. Enigmático. Viciante. Bem-vindo ao Valkirie. Você não poderá desembarcar… mesmo se quiser.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“A seiscentas milhas da costa da Irlanda, a noite estava negra como o fundo de uma mina e se confundia com o mar calmo e opaco próprio daquela época.”

RESENHA<<<
Atenção senhores passageiros última chamada para partida, sairemos em 5 minutos *soa apito*

Livros que envolvem lapsos de tempo sempre me deixam maluca no final da leitura. E às vezes preciso dar uma parada e tentar reorganizar os fatos e colocá-los separadamente pra ver se não houve nem um buraco ou ponta solta por parte do autor.

Em O último passageiro aconteceu isso várias vezes, não por conta da escrita do autor que é boa (eu nunca havia lido nada desse autor antes), mas pelo ritmo que era FRENÉTICO, era como estar em um grande filme de suspense de quase 400 páginas, aliás, daria um ótimo roteiro para o cinema.

Tem uma coisa que achei bem interessante, então fiquei bastante surpresa com a forma que ele descrevia as coisas, as cenas com riqueza de detalhes sem apelar, já que existem cenas de sexo no livro, mas tudo muito limpo e bem descrito, então você diz: Mas Leryane o que tem haver isso, muito autores descrevem cenas de sexo limpas? Eu digo: Sim escrevem, mas isso geralmente acontece com autores do sexo feminino, autores do sexo masculino não são muito bons nisso e até as cenas de amor do livro são muito delicadas, bom achei que deveria mencionar isso para vocês.

O livro tem uma pegada de filme mesmo, esse é o fato, o enredo me lembrava muito aquele filme “Navio Fantasma” com algumas modificações para melhor e com personagens bem melhores, e achei que o autor foi feliz na realização deles deixando cada um com uma personalidade própria e todos têm a sua participação e papel a desempenhar no desfecho dessa viagem.

Mas como tudo não são flores... Como mencionei lá no inicio da resenha, livros que mexem com o tempo e cruzamento de realidades atemporais costumam deixar a desejar, e houve umas três coisinhas que não ficaram claras para mim no livro e isto talvez tenha acontecido porque o autor demorou um pouco para começar a desenrolar o novelo de lã que era o mistério do Valkirie, nas oitenta páginas finais era tanta informação que quando cheguei ao ápice do desfecho, eu fiquei confusa me perguntando várias coisas, mas apesar disso o livro é bem interessante, às vezes um pouco assustador e para quem gosta do gênero é um prato cheio.

Eu gostei e indicaria, este foi um livro que me prendeu apesar dos sustos (risos) inclusive o final, apesar de ter o arco fechado, dava gás para uma continuação.

Resenha da Éme (Leryane)
*_*_*
Quem é Éme?
Bibliotecária, escorpiana, metódica, booksniffer, Moningmaniac, leio coisas que ninguém lê, além de ter um fraco por leituras bobas. Sou chata e não me indiquem livros modinhas eu não lerei! Fala pelos cotovelos em @emeraudelima

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<