POISON BOOKS - Quem Sabe um Dia (Lauren Graham)

Em 19 maio 2014

Autor: Lauren Graham
Tradutor: Elaine Moreira
Editora: Record
Série: Não
Temas: Romance, Cotidiano, Comportamento, Relacionamento
SINOPSE: Franny Banks é uma atriz lutando em Nova York, com apenas seis meses para o prazo de três anos que deu a si mesma para ser bem sucedida. Mas até agora, tudo o que ela tem para mostrar por seus esforços é uma única linha em um anúncio de camisolas feias de Natal e um emprego de garçonete degradante. Ela vive no Brooklyn, com duas companheiras de quarto, Jane - sua melhor amiga de faculdade, e Dan, um escritor de ficção-científica, que é muito, definitivamente não namorável. E está lutando por seus sentimentos por um cara suspeitamente charmoso de sua aula de atuação, tudo isso enquanto tenta encontrar um shampoo para seus cabelos que realmente funcione. Enquanto isso, ela sonha em fazer um trabalho "importante", mas parece que ela só consegue audições para propagandas de detergente líquido e comerciais de manteiga de amendoim. É díficil dizer o que vai acontecer primeiro: ela vai ficar sem tempo ou sem dinheiro, mas de qualquer forma, o fracasso significaria enfrentar o fato de que ela não tem absolutamente nenhum habilidade para sobreviver no mundo real. Seu pai quer que ela volte para casa e vire professora, seu agente não vai chamá-la de volta, e sua colega de aulas, Penelope, que parece incentivadora, pode só tornar a competição ainda mais difícil. Quem Sabe Um Dia é uma estreia engraçada e encantadora sobre encontrar a si mesmo, um amor e o mais difícil de tudo, encontrar um trabalho como atriz.



>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“– Comece quando estiver pronta.”

RESENHA<<<
O livro tem uma premissa interessante, afinal de contas mesmo que a gente não vá à Nova Iorque para ser atriz, acredito que todo mundo tenha um calendário ou um plano do que gostaria que acontecesse na sua vida em X anos, ou meses. Essa premissa principal que segue ‘Quem Sabe um Dia’, uma moça do interior vem para grande metrópole para tentar o sonho da sua vida.

O dia-a-dia e a grande concorrência são mostrados de muitas formas, ela às vezes se dá bem e em outras não era a vez dela. A autora se esforçou para tentar deixar as coisas realistas e até merece um ponto por isso, mas na ânsia de fazer sua personagem divertida, ela forçou tanto o livro a ficar engraçado, que depois do capítulo cinco eu peguei uma birra e ficava dizendo ‘tá forçando demais isso. Assim a história não vai engrenar de uma forma legal’.

E realmente não engrena, as situações acabam ficando forçadas, acaba que os personagens que ela criou ficam em segundo ou terceiro plano. A própria personagem principal é sem graça, nem falo dos amigos que dividem o apê com ela, a ‘melhor amiga’ bem apagada e o carinha ‘que entra mudo e sai planta’ no qual a autora tentou forçar um affair.

“Qualquer um consegue sorrir no seu melhor dia.

Gosto de conhecer homens que conseguem sorrir no seu PIOR.”

Acredito que a autora tentou colocar algo no formato de seriado em um livro e por isso a coisa toda ser truncada, não que a leitura seja difícil, mas ela não é tão prazerosa quanto promete, seus personagens não crescem, na verdade em alguns momentos até acho que eles regridem, principalmente a personagem principal, já que sempre vemos tudo pelos olhos dela.

Fora os personagens que dividem o apê, temos outros que às vezes são mais interessantes ou mais divertidos, porém não foram tão explorados, realmente uma pena, pois eram personagens que poderiam acrescentar algo positivo não apenas à protagonista, mas eles eram aqueles tipos de personagens inteligentes, que dizem as coisas certas e não as que queremos ouvir.

O final eu acabei achando sem graça, foi tão corriqueiro e simples como o restante do livro, a autora podia ter feito muito mais com o material, como dito, a ideia não era ruim, mas realmente foi mal aproveitada.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<